HEMOSC fecha as portas em Canoinhas

Avatar

Leia, na íntegra, documento emitido hoje, 02/01/2017, pelo HEMOSC.

A essencialidade de transfusões de sangue e a natureza estruturante da atividade hemoterápica, apesar de seu alto custo, ainda constituem-se num imperativo de saúde pública.

Contudo, acompanhar criteriosamente os dados, realizar melhorias e adequações que gerem redução de custos sem comprometer a segurança transfusional podem e devem ser sempre avaliadas e implementadas sempre que possível e com base nisto, construímos este documento.

HEMOSC fecha em Canoinhas

Ressaltamos que em 2013 encaminhamos um documento para Secretaria de Estado da Saúde – Plano Diretor de Sangue, em que colocamos que não necessitávamos de mais nenhum hemocentro em nosso Estado, a despeito das diversas solicitações recebidas e que o investimento do estado deveria se voltar para a implantação de algumas agências transfusionais, garantido uma melhor e mais adequada distribuição de sangue no estado, em virtudes de grandes vazios existentes neste nível de complexidade.

Igualmente encaminhamos vários documentos que não recomendavam a implementação de inúmeras Unidades de Coleta solicitadas por vários municípios, baseados em critérios técnicos e que demonstravam a baixa relação custo versus efetividade destas implantações.

Acompanhamos e analisamos frequentemente todos os dados da rede e nesta análise, avaliamos igualmente os dados de produtividade e custo de cada uma de nossas Unidades de Coleta, procurando sempre dar uso apropriado ao erário.

A rede hoje é composta por três Unidades de Coleta, uma delas localizada no município de Canoinhas. Infelizmente desde a implantação desta unidade, ocorrida em 05 de janeiro de 2009, as perspectivas de atendimento às metas propostas foram frustras, apesar da boa acolhida por parte da população. 

Este fato, associado aos outros que descreveremos abaixo nos fazem repensar sobre a manutenção da referida unidade.

A microrregião de Canoinhas é composta por 12 municípios, tendo uma população de 243.782 habitantes e o município de Canoinhas 52.765 segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE,2010), com uma densidade demográfica de 26 habitantes/ km².

De acordo com a Portaria 1631 de outubro de 2015, que aprova critérios e parâmetros para o planejamento e programação de ações e serviços de saúde no âmbito do SUS, a recomendação para atendimento das necessidades assistenciais relativas a serviço de hemoterapia da microrregião de Canoinhas consiste apenas na realização de Coletas Externas para captação de sangue e não na implantação ou manutenção de uma Unidade de Coleta, e a instalação de Agência Transfusional. Com base nos parâmetros da portaria supracitada, a microrregião atinge um escore de 8 (oito) e pode ser acompanhado nas tabelas 1 e 2 dispostas abaixo.

TABELA 1 – PARÂMETROS PARA AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE INSTALADA DOS SERVIÇOS DE HH

Outro parâmetro a ser observado para implantação de novos serviços ou mesmo a manutenção da estrutura atual da Hemorrede é a garantia de uma produção mínima para que se justifique o investimento de recursos (Portaria 1631/2015, Diretrizes da Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados/Ministério da Saúde e Recomendações da Organização Mundial de Saúde). 

Tal recomendação não leva em conta apenas a economia de escala, mas também contempla a preocupação com a qualidade do produto coletado. 
A hemoterapia é uma atividade complexa que exige treinamento e prática contantes para manter a excelência. 
A própria coleta de sangue de modo inadequado, não observando os padrões técnicos mínimos necessários, compromete a qualidade do sangue, podendo favorecer à contaminações, formação de coágulos na bolsa e outras não conformidades. Desta forma, unidades com pouca coleta terão técnicos com menor prática podendo inferir mais riscos ao processo.

Analisando o número de bolsas coletadas no decorrer dos anos na unidade de Canoinhas, desde sua abertura em 2009, observamos que o mesmo tem se mantido, mostrando uma pequena variação no ano de 2011, muito provavelmente devido aos inúmeros pedidos e orientações do Hemocentro Coordenador para que se otimizasse a utilização da estrutura disponível, conforme apresentado na planilha 1 – Número de doações na unidade de coleta de Canoinhas.

Para cálculo da capacidade operacional dos serviços de hemoterapia utiliza-se o parâmetro de 03 (três) coletas por cadeira de doação por hora, multiplica-se este número pelo número de horas que o serviço funciona e se multiplica pelo número de dias de funcionamento do serviço. 

A Unidade de coleta de Canoinhas tem três cadeiras e funciona quatro horas por dia, de segunda a sexta feira, tendo portanto uma capacidade instalada para 720 coletas/mês, sendo que durante todo o tempo de funcionamento, em nenhum mês, houve o alcance deste resultado.

Considera-se que para um serviço não ser caracterizado como deficitário (custo x efetividade), o número mínimo de coletas no mês é de 400 bolsas, onde percebe-se também que em nenhum mês houve essa coleta mínima na Unidade de Coleta de Canoinhas. 

Ainda, no que se refere ao percentual de coletas realizadas pela Unidade de Coleta de Canoinhas, considerando o total de bolsas coletadas na Hemorrede, no ano de 2015 sua coleta representou somente 2,43%.

Outro fator que nos compele a sugerir o fechamento da referida unidade é o índice de aproveitamento das bolsas coletadas não ser tecnicamente satisfatório, decorrente do tempo entre a coleta da bolsa em Canoinhas e o processamento em Joaçaba, impossibilitando a produção de concentrado de plaquetas, gerando somente concentrado de hemácias e plasma comum. 

Este plasma não deve ser utilizado na terapia transfusional sendo enviado à indústria para produção de hemoderivados, porém com a irregularidade de recolhimento por parte da Hemobrás e a ausência de espaço físico para acondicionamento (freezeres com temperatura inferior a -20°C) muitas bolsas de plasma são descartadas.

Este tempo e índice de aproveitamento é fortemente influenciado pela dificuldade de transporte de bolsas e amostras na região. 

Este transporte já foi realizado através da empresa de transporte – Reunidas, contudo em decorrência de alguns problemas que enfrentamos com a mesma, como o extravio de bolsas, abertura das caixas térmica, etc, optamos por encerrar este serviço a partir de 2015 e passamos a realizar o transporte duas vezes por semana por motorista e carro do HEMOSC, haja vista a empresa contratada no estado para a realização do transporte na Hemorrede Estadual não realizar tal rota e caso a assumisse seria com custo muito mais elevado.

A Unidade de Coleta de Canoinhas está situada em espaço cedido pelo Hospital Santa Cruz, o qual se manteve parceiro ao logo dos anos. 

Contudo, estamos cientes que a presença do HEMOSC ocupa espaço importante do Hospital, impede a realização dos projetos de obras para ampliação e melhorias necessárias.

Cabe ressaltar ainda que, atualmente, a Unidade de Coleta de Canoinhas não possui os alvarás sanitário, de funcionamento e do corpo de bombeiros, pois a liberação destes pelo órgãos competentes está vinculada diretamente a readequações da estrutura física e a aprovação na Vigilância Sanitária do projeto arquitetônico da referida unidade. Igualmente, e consequência da ausência das documentações citadas não há registro no CREMESC do responsável técnico, estando assim a unidade irregular no aspecto documental.

Enfrentamos também, dificuldade de manutenção da cobertura médica Unidade durante todo o horário de coleta após a aposentadoria do médico responsável e tentativa frustrada de contratação.

Os fatos apontam, portanto, para o encerramento das atividades da Unidade de Coleta de Canoinhas, a partir de 02 de janeiro de 2017, estando autorizado pela Secretaria de Estado da Saúde por meio do Contrato de Gestão 01/2016 do HEMOSC publicado em 28/11/2016. 

A decisão também está em consonância com o Plano Estadual de Sangue e Hemocomponantes elaborado pela Hemorrede e demais participantes do PlanejaSangue, evento promovido pelo Ministério da Saúde.

O quantitativo diário coletado em Canoinhas será compensado nas demais estruturas da Hemorrede, se necessário, de modo que o fechamento da Unidade não impacte nos estoques de sangue.

Sabemos, contudo, da necessidade de se manter o atendimento daquela região e das ações que estimulem a doação de sangue. 

É por este motivo, que manteremos o atendimento aos doadores da região de Canoinhas, com a realização de Coletas Externas, que consiste na formação de uma equipe mínima e alocação de equipamentos em área previamente definida pelo município a ser visitado.
Também é possível a organização de grupos de doadores, cuja estrutura de transporte será organizada pelo HEMOSC ou pelo município, quando disponível. Os serviços de Coletas Externas e Agendamento dos grupos de doação, serão organizadas pelo Hemocentro Regional de Joaçaba e agendadas conforme a necessidade de estoque da Hemorrede.

Colocamos, portanto, ambos serviços à disposição da Associação dos Doadores de Canoinhas – a ADOSAREC, a quem rendemos homenagens ao trabalho realizado, e dos demais doadores do município de Canoinhas e região, pois sabemos da importância de se manter a comunidade parceira e da necessidade de se facilitar o acesso do doador aos serviços, uma vez que dependemos todos, destes indivíduos solidários que nos procuram e garantem com seu ato, a possibilidade dos demais atendimentos de saúde do Estado.

Fonte: HEMOSC
Total
0
Shares