Soltura de pipas causou quedas de energia em 25% de ocorrências atendidas pela Celesc

O que é para ser uma brincadeira ao ar livre provocou aumento das ocorrências com a rede elétrica nos últimos dois meses.

Devido à famosa “soltura de pipas”, a Celesc contabilizou 196 desligamentos de energia nos meses de abril e maio, só na região Leste, com maior concentração nas cidades de Camboriú, Itajaí e Navegantes. 

Diante dos transtornos causados com os desligamentos e os riscos de acidentes, a empresa reforça as orientações para não empinar pipas perto das redes elétricas e reforça sobre o cuidado para evitar acidentes.

Ao todo, as ocorrências causadas por pipas enroladas nas redes elétricas já afetaram diretamente 95,5 mil unidades consumidoras na região. 

Segundo o Gerente Técnico da Celesc, Luiz Carlos da Silva Xavier, um a cada três desligamentos emergenciais tem sido por esse motivo. O tempo total das quedas de energia, somente causado por pipas, chegou a 25% de todas as ocorrências.

É importante lembrar que um acidente causado por descarga elétrica pode deixar sequelas como queimaduras graves e, em casos mais extremos, causar a morte.

A nossa orientação é que as famílias reforcem os cuidados com crianças e adolescentes para diminuirmos o risco”, complementa Xavier. Durante todo o ano letivo, a Celesc também vai às escolas para palestras e reforça os cuidados com os alunos, através de históricos de acidentes.

Constantemente equipes da Celesc vêm sendo acionadas para realizar as respectivas limpezas e retiradas das pipas dos cabos e equipamentos da rede de distribuição.

Acompanhe as dicas de segurança da Celesc:

– Além de serem proibidos, o cerol e a chamada “linha chilena” trazem risco para motociclistas e pedestres e também oferecem perigo no contato com a rede de energia. Ao cortar a fiação, a linha interrompe a transferência de corrente elétrica, podendo provocar curto-circuito se suspensão de fornecimento de energia;

– Empine pipas longe de rede elétrica, em locais onde não exista nenhum tipo de cabo de energia, de serviço telefônico ou antenas de celular. Isso evita acidentes e interferências na qualidade desses serviços;

– Se a pipa ficar presa nos fios elétricos, não tente retirá-la. Nunca use varas nem suba no poste para tirar uma pipa. O choque, nestes casos, pode ser fatal;
Arremessar objetos na rede elétrica para o resgate da pipa pode causar graves acidentes. O “lança-gato” (pedra presa a uma linha) ou qualquer outro objeto não devem ser lançados na rede;

– Empinar pipas em locais como lajes e muros deve ser evitado. A proximidade com os fios de alta tensão aumenta o risco de acidentes graves e fatais, além do perigo de quedas.

– Em caso de relâmpagos, recolha a pipa imediatamente. Não solte pipas em dias de chuva ou vento muito forte.

A região leste do estado foi a que mais registrou ocorrências, chegando a 95,5 mil unidades consumidoras afetadas por fios enrolados na rede elétrica.

Total
0
Shares