Canoinhas declara churrasco em espeto de madeira Patrimônio Cultural do município

Avatar photo
O Projeto de Lei n° 126/2022, que declara o churrasco em espeto de madeira como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Município de Canoinhas, foi apresentado pelos então vereadores Juliana e Homer.

LEIA TAMBÉM

 — PUBLICIDADE —
Whatsapp Emecar Canoinhas

As festas do interior de Canoinhas podem seguir com uma de suas mais importantes tradições: o churrasco assado em espeto de madeira. O projeto de lei que torna o espeto de madeira patrimônio imaterial de Canoinhas foi aprovado em primeira votação na noite de segunda-feira (17), na Câmara de Vereadores.

A iniciativa, idealizada pela prefeita Juliana Maciel Hoppe e pelo vice-prefeito Marcos Homer ainda em 2022, quando estes eram vereadores, busca garantir a preservação dessa prática cultural e culinária que tanto caracteriza a região.

Protegendo a cultura e combatendo multas

O projeto de lei tem como objetivo principal manter viva a tradição do churrasco em espeto de madeira, que além de seu valor cultural, também contribui para a economia local, gerando renda e empregos. Além disso, a medida visa evitar multas por parte da Vigilância Sanitária, que, em alguns casos, penalizava organizadores de eventos por causa do uso do espeto tradicional.

Fogo de chão e sabor sem igual

Como bem definiu a chef Ana Maria Braga em seu site, “o autêntico churrasco gaúcho não é feito em churrasqueiras com espetos de alumínio, mas no fogo de chão com espetos de madeira”. Essa tradição, passada de geração em geração, garante um sabor único e especial à carne assada, além de criar um ambiente acolhedor e festivo.

Aprovação com louvor

A aprovação do projeto de lei na Câmara de Vereadores foi recebida com grande entusiasmo pela comunidade. O vice-presidente da Câmara, André Flenik, destacou o caráter cultural da iniciativa e ressaltou a importância de proteger as tradições locais.

“Antes que falem que seria um projeto inútil, estamos protegendo uma tradição local. Existem projetos a nível nacional que proíbem essa tradição. O espeto em taquara, no Rio Grande do Sul, teve situação semelhante e foi protegido por projeto de lei local”, argumentou Flenik.

O vereador Wilmar Sudoski também reforçou a importância do churrasco em espeto de madeira para as festas da região. “Nós que convivemos nas comunidades católicas, onde se fazem muitas festas, se tirarmos o espeto de madeira, acaba o espírito da festa”, justificou seu voto favorável.

Próximos passos

Após a aprovação em primeira votação, o projeto de lei segue para análise em segunda votação e, se aprovado novamente, será encaminhado à sanção da prefeita Juliana Maciel Hoppe. Com a aprovação final da lei, Canoinhas garante a preservação de uma importante tradição cultural e gastronômica para as futuras gerações.