Taxista diz que foi vítima de assalto em Canoinhas mas cliente diz que ele tentou matá-lo

Na madrugada de segunda-feira (16) por volta das 01h, policiais militares foram acionados até a localidade de Caraguatá, onde a denúncia era de tentativa de assalto a um táxi.

No local a guarnição conversou com a suposta vítima que relatou que foi fazer uma corrida onde a solicitante, via WhatsApp, era uma mulher.

Ao chegar no local encontrou um homem, que achou suspeito, então abriu apenas um pouco da janela,  negou corrida a esse homem e nesse momento o referido disse que \”não quero corrida só o teu dinheiro, passa o dinheiro\”.

Então para fugir, entrou com seu veículo e atropelou o homem, vindo esse a jogar uma pedra no para-brisa do táxi. Logo após saiu do local e acionou a polícia.

A guarnição localizou o suposto agente, abordando-o em frente a sua residência. O mesmo negou a acusação, relatando que sua esposa pediu o táxi via WhatsApp para ir buscar um lanche. Quando chegou na esquina viu o táxi, e o taxista o reconheceu do tempo de prisão e tentou matá-lo, atropelando-o.

Relatou ainda que há duas testemunhas que viram o atropelamento.

O taxista, quando acionou a polícia, informou que o homem estava armado, porém este foi submetido a revista pessoal e nenhuma arma foi encontrada. Já no local o taxista não soube precisar se era mesmo uma arma.

Como não houve fundamentos e indícios necessários para confirmação de ocorrência de roubo, a guarnição lavrou Termo Circunstanciado, e liberou os envolvidos no local.

*Com informações da Polícia Militar de Canoinhas

Total
0
Shares