Covid-19: sete regiões estão em estado gravíssimo e atual cenário causa preocupação

Áreas em vermelho estão em estado gravíssimo, em laranja em estado grave e em amarelo são áreas de alto risco de disseminação do novo coronavírus. Foto: Secretaria de Saúde do Estado

O cenário de disseminação do novo coronavírus em Santa Catarina recomenda atenção em todo o Estado.

De acordo com informações da Secretaria de Estado da Saúde, sete regiões estão em estado gravíssimo, conforme a classificação na matriz de risco criada pelo órgão.

\”Estamos num momento grave e não é verdade que exista omissão do Estado, muito pelo contrário, somos apontados como melhor em enfrentamento pelo Covid\”, disse o secretário André Motta Ribeiro.

Segundo ele, a reclamação que prefeitos têm feito são de cunho político e o Estado tem constantemente conversado com os municípios para alinhamento de ações com a regionalização de medidas para controle do coronavírus.

Toda o Litoral catarinense, com exceção do Extremo Sul, está apontando para o nível mais grave de Covid-19 (veja na imagem abaixo). Na semana passada eram somente três regiões com risco gravíssimo.

Algumas regiões do estado já ultrapassaram 80% da ocupação de leitos de UTI, que é um número bastante preocupante.

O governador Carlos Moisés ressaltou que o Estado tomou medidas mais drásticas para promover o isolamento no começo da pandemia, porém, com a disseminação da doença de forma diferenciada pelas regiões, criou-se uma série de ferramentas para amparar a tomadas de decisões por parte dos gestores municipais.

“O momento é de cautela com o aumento do número de contaminados e de casos ativos. O Governo do Estado provém todo o apoio para as prefeituras e segue monitorando a situação diariamente. Também realizamos uma série de ações para ampliar os nossos leitos de UTI e garantir que não falte atendimento a quem necessita. Mas, para que tudo isso tenha efeito, é necessária a colaboração da população. É preciso que todos estejam atentos às normas sanitárias e de segurança em saúde”, salienta Carlos Moisés.

Documentos elaborados pelo corpo técnico da Secretaria vêm destacando que, embora a letalidade em Santa Catarina siga relativamente baixa na comparação com os demais estados, o atual cenário causa preocupação.

“Estamos trabalhando para que não faltem leitos de UTI em Santa Catarina. As taxas de ocupação estão em alta, portando, é necessário que estabilizemos a curva de contágio em um primeiro momento, para que ela venha a cair em seguida. Como não temos nenhuma vacina, a única receita de que a sociedade dispõe atualmente é o isolamento social. Precisamos reforçar isso nas próximas semanas. Essa é uma questão muito importante”, ressalta Motta Ribeiro.

Atualmente, Santa Catarina tem 49.781 casos confirmados de Covid-19, dos quais 39.896 estão recuperados e 9.297 continuam em acompanhamento. Desde o início da pandemia, 588 mortes já foram causadas pelo coronavírus. A taxa de letalidade é de 1,18%.