Boletim hídrico aponta agravamento da estiagem em Santa Catarina

Avatar
A barragem do Lageado São José se encontra em estado crítico por conta da estiagem. Foto: Fernanda Moro

O 13º Boletim Hidrometeorológico do Estado divulgado pela Secretaria Executiva do Meio Ambiente (SEMA), integrada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), apontou intenso agravamento da situação de estiagem em Santa Catarina, em especial entre a região do Oeste e Planalto Sul do Estado, onde ocorreram baixos volumes de precipitação em comparação com a média histórica.

Na análise da situação do abastecimento público, dos 295 municípios catarinenses, 143 permanecem em condição de normalidade; 83 em estado de atenção; 28 em alerta; e 25 em estado crítico frente a estiagem, ou seja, são 15 municípios a mais em relação ao boletim anterior.

Este resultado representou considerável piora em comparação com o observado no boletim anterior, especialmente na avaliação das cidades em situação crítica, que passou de 10 para 25 cidades nesta condição ao longo da última quinzena.

“A estiagem volta a se agravar no Estado. O governo segue trabalhando nas ações necessárias de mobilizações e medidas de mitigação no sentido de reduzir os impactos da estiagem. Pedimos o uso racional e consciente por parte dos usuários de recursos hídricos e da população de modo geral, com especial atenção até que sejam atualizadas as informações novamente”, destaca o Diretor de Recursos Hídricos e Saneamento da SEMA, Leonardo Ferreira.

Tendência de poucas chuvas

Quanto à previsão do tempo, a expectativa para a próxima semana é de poucas chuvas, com volume superior na região centro-leste. 

Na semana seguinte espera-se chuva um pouco melhor distribuída e com volumes mais significativos. Contudo, essa chuva ainda não será suficiente para reverter a situação de deficit hídrico já estabelecido em todo o território.

No entanto, tendo em vista a condição hidrológica dos cursos d’água permanecendo com déficit hídrico, é possível indicar a permanência da estiagem prolongada no Estado de Santa Catarina. 

Em virtude da ausência de uma maior distribuição e volume de chuvas, tende a aumentar o número de municípios em estado de atenção, alerta e crítico.

O estudo de monitoramento, coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) em parceria com a Defesa Civil de Santa Catarina, Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (ARESC) e outras agências reguladoras do Estado, tem o objetivo de monitorar e divulgar a situação hídrica catarinense.

Total
0
Shares