Filho morre ao colidir em caminhão do próprio pai na BR-116 no Paraná

Testemunhas dizem que o engavetamento foi repentino. Câmeras de monitoramento no local devem ajudar as autoridades a entender como o acidente aconteceu.

Um casal morreu em um engavetamento registrado na tarde desta quinta-feira (13), na BR-116 em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

Testemunhas relataram que um carro teria atravessado na frente de um caminhão e o caminhoneiro, para evitar uma colisão, teve que fazer uma freada brusca na rodovia. No entanto, os veículos que vinham atrás não conseguiram parar, resultando em um engavetamento gravíssimo.

Cabine do caminhão das vítimas ficou completamente destruída. Causas do acidente serão investigadas.

O acidente aconteceu no km 108, na pista sentido Araucária, e envolveu quatro caminhões que bateram em um efeito dominó, segundo a Polícia Rodoviária Federal. Nos dois últimos, os motoristas eram pai e filho.

Gerson da Silva Mattos, que morreu no local, colidiu o caminhão na carreta do pai. A esposa dele, Patrícia de Abreu de 34 anos, que estava na cabine, também morreu. Ambos ficaram presos na ferragens.

O pai de Gerson, Jetro Flores de Mattos, teve ferimentos moderados, foi atendido no local mas recusou encaminhamento. “Diz ele que só sentiu a bordoada. É pai e filho. O pai bateu fraco do caminhão da frente, mas aí o filho veio e bateu na traseira do pai”, disse à Banda B o caminhoneiro Levir Filipak, amigo das vítimas.

Pai da vítima teve ferimentos leves. Foto: Reprodução

As causas específicas ainda serão apuradas. A Arteris Planalto Sul, concessionária que administra o trecho, tem câmeras de monitoramento no local que devem ajudar as autoridades a entender como o acidente aconteceu.

Gerson e Patrícia moravam juntos há 17 anos. Eles tinham dois filhos, de 14 e 17 anos. Gerson e Jetro eram conhecidos entre os caminhoneiros como “Pai e Filho” e só rodavam juntos pelas estradas.

Foto: Tiago Silva/ RICtv

No local o pai estava inconsolável ao perder o filho e a nora no acidente. Um tio do homem que morreu no acidente afirmou que a família saiu de São Paulo e estava chegando em casa, no bairro Caiuá, em Curitiba.

“A vida deles era essa, trabalhavam com caminhão a vida toda, moravam aqui no Caiuá, muito triste, muita tragédia”, disse ele.