Canoinhense morre vítima de atropelamento no Rio Grande do Sul

Oscar Gonçalves do Rosário pedia indenização na Justiça por danos morais. Foto: Marco Antônio Mendes

O canoinhense Oscar Gonçalves do Rosário, que foi acusado e condenado a 20 anos pela morte de uma menina há 13 anos em Joinville, no Norte catarinense, morreu atropelado na noite de quinta-feira (29) em um acidente no Rio Grande do Sul. 

Oscar trabalhava de ajudante de caminhoneiro, teria saído para comprar um lanche e ao voltar para o caminhão foi atropelado por uma camionete Toyota que descia a serra em direção à região metropolitana. Ele morreu na hora. 

O motorista da camionete, de 64 anos, realizou teste de bafômetro, que deu negativo. Ele também teria parado para prestar socorro e acionar o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM).

O acidente aconteceu por volta das 22h30, na rodovia Sinval Guazzelli, no município de Bom Princípio, próximo a Porto Alegre. 

Oscar tinha 35 anos e será sepultado às 11h de sábado (31), no Cemitério Municipal de Canoinhas.


Vítima morreu sem receber indenização do Estado

No mês passado, a Justiça informou que Oscar do Rosário tinha direito a receber do Estado uma indenização de R$ 80 mil por ter sido preso.
Ele foi condenado em 2008 a 20 anos de prisão pelo assassinato de Gabrielli Cristina Eicholz, de 1 ano e 8 meses. O corpo da menina foi encontrado na pia batismal de uma igreja de Joinville em 2007.

Oscar foi apontado como suspeito porque teria sido visto próximo à igreja no momento da morte. Ele chegou a confessar o crime e ficou preso durante três anos, mas o processo foi anulado por causa de falhas na investigação e ele foi liberado. 

Além disso, a justiça considerou que Oscar confessou o crime porque foi coagido.

O Estado recorreu da condenação a pagar indenização a ele pela prisão, mas se o pagamento for confirmado em última instância, o dinheiro deve ficar para os dois filhos dele.

A morte da menina Gabrielli nunca foi totalmente esclarecida e até hoje não se sabe se a causa foi realmente criminosa ou acidental.