Confira o horário do comércio em Canoinhas neste fim de ano

Avatar
Foto: Canoinhas Online

O SINDILOJAS – Sindicato do Comércio Varejista de Canoinhas – divulgou uma tabela com horários para o funcionamento do comércio no município.

De acordo com o sindicato, a tabela é uma sugestão. Cada empresa poderá realizar horário diferenciado de atendimento ao público, desde que respeitada a carga horária dos empregados conforme prevista na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) firmada.

DEZEMBRO

  • Dia 1º Terça-feira Normal
  • Dia 2 Quarta -feira Normal
  • Dia 3 Quinta-feira Normal
  • Dia 4 Sexta- feira Normal
  • Dia 5 Sábado das 9h às 18h
  • Dia 6 Domingo Facultativo
  • Dia 7 Segunda-feira das 9h às 18h
  • Dia 8 Terça-feira das 8h30 às 18h30
  • Dia 9 Quarta -feira das 8h30 às 18h30
  • Dia 10 Quinta-feira das 8h30 às 18h30
  • Dia 11 Sexta- feira das 9h às 18h30
  • Dia 12 Sábado das 9hàs 18h
  • Dia 13 Domingo Facultativo
  • Dia 14 Segunda-feira das 8h30 às 20h
  • Dia 15 Terça-feira das 8h30 às 20h
  • Dia 16 Quarta -feira das 8h30 às 20h
  • Dia 17 Quinta-feira das 9h às 22h
  • Dia 18 Sexta- feira das 9h às 22h
  • Dia 19 Sábado das 8h30 às 22h
  • Dia 20 Domingo das 15h às 22h
  • Dia 21 Segunda-feira das 9h às 22h
  • Dia 22 Terça-feira das 9h às 22h
  • Dia 23 Quarta -feira das 9h às 22h
  • Dia 24 Quinta-feira das 8h30 às 15h
  • Dia 25 Sexta- feira Fechado
  • Dia 26 Sábado  Facultativo
  • Dia 27 Domingo Facultativo
  • Dia 28 Segunda-feira Livre
  • Dia 29 Terça-feira Livre
  • Dia 30 Quarta -feira Livre 
  • Dia 31 Quinta-feira das 9h às 12h30
JANEIRO 
  • Dia 1º  Sexta-feira Fechado
  • Dia 2  Sábado Facultativo
O presidente do SINDILOJAS, divulgou o posicionamento do sindicato em relação a pandemia e o comércio:

\”A cadeia produtiva não pode de maneira nenhuma ficar a mercê de decisões políticas e arbitrárias, o que assistimos neste país desde março foi um festival erros, pessoas sem nenhuma aptidão de gestão de crise, de economia e tomando decisões políticas. 


Se nós como representantes de classe e todas as entidades patronais, junto com toda cadeia produtiva não reagirmos neste momento, p
oderemos realmente ter grandes dificuldades com uma crise sem precedentes em 2021. 

A pandemia existe, isto não podemos negar, estamos em guerra, e nela quem vai na frente são os soldados. 

Protegemos nossos filhos e nossos idosos, mas nós temos que nos arriscar, assim como todos que estão em hospitais se arriscando diariamente ,temos que manter a economia e o setor produtivo em crescimento.
Pelo bem de nossas futuras gerações\”.

Carlos Roberto Burigo
Total
0
Shares