Polícia conclui inquérito de jovem morta na noite de Natal, em Jaraguá do Sul

Avatar
Foto: Arquivo pessoal/Arquivo

A Polícia Civil concluiu o inquérito policial que investiga a morte da jovem Thalia Ferraz, de 23 anos, em Jaraguá do Sul, que ocorreu na véspera do Natal. O ex-companheiro da vítima, um empresário de 42 anos, foi indiciado por feminicídio, tentativa de homicídio e por disparo de arma de fogo.

O homem se entregou à polícia quatro dias após o assassinato e segue preso. Na terça-feira (26), a Polícia Civil representou pela prisão preventiva dele, já que o prazo da prisão que ele cumpre atualmente vence esta semana.

O documento foi entregue pela Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso à Promotoria de Justiça na terça-feira (26).

“Ficou devidamente demonstrado que ele tinha a intenção de matá-la e que o fez motivado por ciúmes e inconformismo com o término do relacionamento”, disse a delegada Roberta França.

Cerca de 10 testemunhas foram ouvidas pela polícia. Vídeos, mensagens, laudos periciais e a comparação balística foram utilizadas pela polícia na investigação, que durou pouco mais de um mês. 

OS CRIMES

Segundo a delegada, a investigação mostrou que o empresário matou Thalia por motivo torpe. Ele foi indiciado feminicídio e por impossibilitar a defesa da vítima.

Além disso, ele irá responder por tentativa de homicídio contra um familiar da ex-companheira que estava escondido no banheiro, já que, de acordo com a polícia, o homem atirou contra a porta desse cômodo.

A delegada explicou que o crime de disparo é um crime autônomo do estatuto do desarmamento e que não tem vítima específica. O risco neste caso, é para toda a coletividade.

“No dia 23 de dezembro, ele atirou ‘pra cima’ na casa dele e a intenção era só atirar. E no dia 24 de dezembro, ao sair da casa da vítima, ele fez o mesmo”, concluiu.

Thalia Ferraz, de 23 anos foi morta a tiros na véspera do Natal diante de familiares, entre eles os sobrinhos de 14 e 8 anos.

O suspeito teria enviado uma mensagem para a vítima um dia antes do crime, em que pergunta “gosta de surpresa?”.

A jovem, que tinha deficiência auditiva, tentou se proteger indo para um dos quartos. Ela foi atingida por um disparo na altura do tórax, após o projétil atravessar a porta do cômodo. Ela deixou dois filhos, de 3 e 6 anos.

O homem se entregou à polícia em da cidade em 28 de dezembro após passar três dias foragido no interior do Paraná. O empresário foi encaminhado para ao Presídio Regional de Jaraguá do Sul.

A jovem, que tinha deficiência auditiva, ainda tentou se proteger indo para um dos quartos, mas o projétil atravessou a porta do cômodo. 

Total
0
Shares