Gerente do IMA em Canoinhas perde o cargo e Wilson Pereira assume a regional

Avatar
Gerente Ambiental foi exonerada pelo governador Carlos Moisés, que no mesmo ato nomeou Wilson Pereira como coordenador regional.
coordenador ima canoinhas

Em ato publicado no Diário Oficial de Santa Catarina na última sexta-feira (19), o governador do Estado, Carlos Moisés, exonerou a gerente regional do Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Canoinhas, Francine Edelvira Nader, que vinha ocupando o cargo desde 2016, nomeando Wilson Pereira, que assume como Coordenador Regional do Meio Ambiente do IMA.

Formado em Direito, Wilson Pereira foi vereador em dois mandatos e vice-prefeito de Canoinhas na gestão 2013-2016.

“Wilson Pereira é um dos mais importantes integrantes do MDB de Canoinhas e conhece bem os seis municípios da região (Porto União, Irineópolis, Bela Vista do Toldo, Major Vieira, Canoinhas e Três Barras), estando em plena condição de realizar um trabalho de fundamental importância no desenvolvimento da economia, de conformidade com as necessidades da preservação do meio ambiente”, afirmou Christian Martins.

Martins trabalhou na extinta Secretaria Regional em Canoinhas, no Instituto Ambiental de Santa Catarina, foi secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Sustentável de Porto União, além de ter atuado como coordenador no Estado na direção geral da antiga Fatma (Fundação do Meio Ambiente, que a partir de 2018 passou a denominar-se IMA).

DENÚNCIAS

Wilson Pereira assume coordenação regional do IMA em um momento delicado, visto que a instituição, e alguns servidores lotados nela, bem como a Prefeitura Municipal de Canoinhas, são alvos de denúncia por crime ambiental.

De acordo com a denúncia, em março de 2020 foi flagrado maquinário, equipamentos e servidores da prefeitura municipal de Canoinhas em atos de degradação em Área de Preservação Permanente (APP).

A ação, protocolada em setembro de 2020, tramita em segredo de justiça no Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

Recentemente, cerca de duas semanas atrás, após denúncia na Ouvidoria Geral do Estado, os autores da ação receberam um comunicado de que foi realizada fiscalização no local informado e constatado a infração mencionada, sendo assim lavrado o Auto de Infração Ambiental e Termo de Embargo, segundo consta em documento enviado à reportagem do Canoinhas Online.

Quanto a ação que tramita no MPSC, houve o pedido para instauração de procedimento investigatório a fim de apurar a conduta na pessoa do Prefeito Municipal, da Gerente Ambiental do IMA de Canoinhas, bem como de dois agentes fiscais da instituição, por ação imoral, antiética, irregular, ilegal e inconstitucional.

Foto: Arquivo pessoal/reprodução

Total
14
Shares