Bebê dá entrada em hospital com queimaduras de cigarro e pai é preso, no Paraná

A mãe relatou que o pai do bebê era agressivo e impaciente e que havia chacoalhado a criança em uma ocasião por ela não parar de chorar.

Um pai foi preso depois de um bebê de um mês dar entrada em um hospital de Pinhão, na região central do Paraná, com fraturas no braço e marcas de queimadura de cigarro na noite de segunda-feira (21).

Ele tem 24 anos e foi detido em flagrante pelo crime de tortura. Se condenado, ele está sujeito à prisão que pode variar de dois a oito anos.

A criança passou por avaliação médica e, segundo o hospital que a atendeu em Guarapuava, a cerca de 50 quilômetros de Pinhão, o estado de saúde é considerado bom.

A investigação

O caso foi identificado quando a mãe de 31 anos chegou e disse à equipe policial que o bebê estava machucado no ombro. Um exame detectou fraturas em dois locais do braço da criança.

Com as informações, a PM foi até o endereço da família, no bairro Pinheirinho, onde prendeu o homem.

Segundo a Polícia Militar (PM), a mãe relatou à equipe médica que o pai do bebê era agressivo e impaciente com a vítima e que havia chacoalhado a criança em uma ocasião por ela não parar de chorar.

Aos policiais, o médico reforçou que fraturas não são comuns em recém-nascidos e que a situação identificada no bebê só acontece mediante dobradura completa do membro.

O pai deve prestar depoimento à polícia na quarta-feira (22) e que a mãe também deve ser ouvida. O Conselho Tutelar foi acionado.


Leia também