Vereador do Paraná é suspeito de matar sobrinho durante velório, diz polícia

Avatar photo
A motivação do crime teria sido uma dívida, da venda de um trator, que o suspeito não queria pagar ao sobrinho.

LEIA TAMBÉM

 — PUBLICIDADE —
Whatsapp Emecar Canoinhas

O vereador José Odílio dos Santos (MDB), do município de Reserva, no Paraná, é suspeito de assassinar a tiros o próprio sobrinho durante o velório de um familiar de ambos, segundo a Polícia Civil. A vítima foi identificada como Diorgenes Fernando Ferraz Lemes, de 24 anos, neto da irmã do vereador.

O crime aconteceu na noite de sexta-feira (5), por volta das 22h30 na zona rural da cidade, após a vítima cobrar do vereador uma dívida relacionada ao pagamento de um trator, afirma o delegado Silas Belém de Castro. 

Segundo o delegado, o velório estava ocorrendo em um sítio particular. O sobrinho chegou antes e discutiu com o tio por telefone.

A vítima estava sentada na frente da casa [do sítio] quando os autores, que eram tios da vítima, chegaram e o autor, José Odílio, munido de uma arma de fogo, disparou três vezes em direção a vítima. Os disparos, em tese, pegaram na cabeça da vítima”, detalha o delegado.

O vereador e o irmão dele, Valdereis Sebastião Fernandes dos Santos, fugiram juntos após o crime. Após pedido da Polícia Civil, a Justiça decretou a prisão preventiva dos dois. Agora, o vereador e o irmão são considerados foragidos.

“A motivação do crime seria uma transação financeira entre eles, causada pela venda de um trator que a vítima estava cobrando o autor. O autor não queria pagar a vítima“, conta o delegado.

Zé Odílio (MDB) está foragido — Foto: Câmara de Vereadores

“Zé Odílio”, como é popularmente conhecido, ocupa o cargo de 1º secretário da Mesa Diretora de Reserva – que possui 11 vereadores no total. A cidade tem cerca de 24,5 mil habitantes. O suspeito está na terceira gestão como vereador.

Em nota, a Câmara Municipal disse que está acompanhando o caso e reitera o “compromisso com a transparência e a prestação de contas à população”.

“Diante da gravidade da situação, tão logo tenhamos maiores esclarecimentos das autoridades policiais tomaremos as medidas administrativas cabíveis ao fato”, complementa o texto.