A história de um Bombeiro!

Uma pequena história…


\”Fogo! Fogo! Fogo!\” Soou pelo ar da meia-noite.

As pessoas que estavam a dormir levantaram as janelas para perguntar onde estava. Alguns rapidamente se vestiram e correram na direção do prédio em chamas.

Por fim, ouviu-se um grito de que os bombeiros estavam à vista. Eles vieram em um ritmo rápido. A multidão abriu caminho para eles. \”Estão todos fora de casa?\” gritou um dos bombeiros. \”Acho que sim\”, disse um policial, apontando para um pequeno grupo de pessoas seminuas.

Só então veio um grito de horror da multidão. Uma mãe, capaz de encontrar apenas três de seus filhos, correu de volta para a escada pela qual ela havia descido, gritando em sua agonia: —Ainda há duas crianças pequenas na casa.

Mãos fortes a seguravam, e todos disseram que ela apenas jogaria fora sua própria vida na tentativa de salvá-los.

Um dos bombeiros a ouviu. Perguntou em que quarto os pequenos dormiam, depois colocou a escada contra a janela daquela sala e subiu rapidamente a ela. Com alguns golpes fortes, ele fez uma abertura através da faixa grande o suficiente para passar 

e em um momento estava lá dentro.

Passaram-se vários minutos e nada se ouviu senão o crepitar das chamas, o soprar dos motores e os gritos dos que dirigiam os homens. Com olhos ansiosos, a multidão observava a janela através da qual o bravo homem havia ido.

Os bombeiros estavam prontos para colocar suas escadas contra outras partes do edifício, se necessário. Pedaços de carpete haviam sido fornecidos para receber qualquer um que pudesse cair de uma janela. Dez minutos se passaram – poderia ter sido uma hora, parecia tão longa para a multidão ansiosa e temerosa.

De repente ouviu-se um grito – um grito de dor e desânimo, porque as chamas irromperam do quarto em que as crianças dormiam! Toda a esperança agora parecia ter desaparecido. A mãe olhou em desespero para a vista: ela não conseguia falar. Sua dor era terrível de ver.

Nesse momento, outro grito invadiu o ar, um grito de alegria. \”Lá está ele! Eles são salvos! Eles são salvos!\”, gritavam as pessoas que, àquela altura, estavam quase loucas de excitação.

Descendo a escada da frente, carregando uma criança em cada braço, o bravo bombeiro foi visto fazendo o seu caminho.

Incapaz de voltar pela janela sem ferir as crianças, ele foi obrigado a passar pela fumaça até a escada. Segundos depois, com um estrondo alto, o interior do prédio caiu logo atrás dele.

Como a multidão o aplaudiu ao colocar as crianças nos braços da mãe agradecida!
Toda a honra ao bravo bombeiro! Anjo de luz!\”

Anjos de luz
Para muitas pessoas, ser um bombeiro é um sonho. Um trabalho que salva vidas e tira os outros de situações perigosas. São vistos como anjos ou super heróis. Não há reputação melhor do que a de um bombeiro.
Mas, infelizmente tem aquele que acha que o Bombeiro tem uma vida sossegada. Ganha bem. Trabalha de 2 a 3 dias por semana  (*24 horas ininterruptas de trabalho por 48 horas de descanso, em regime de prontidão). Vida boa.


Será?

\”Você não tem ideia das dores que carregam … ou das memórias que os assombram.. 
Dormir ? 
Talvez!!!


Você já se deitou, momentos depois de dizer a uma mãe que o filho dela que está deitado no chão do quarto, teve uma overdose e está morto e que não tem mais nada a fazer, querendo que ela soubesse que você fez tudo que era possível ? 


Você já se sentou para uma refeição após ter retirado um corpo em decomposição de dentro de uma lagoa, rio ou local de difícil acesso? 


Quantas vítimas em acidente de trânsito você já recolheu pedaços pelo chão? 

Alguém já segurou em sua mão com lágrimas nos olhos te pedindo para ajudar e você fez tudo o que podia, enfrentando o trânsito caótico da cidade até o Pronto Socorro sem ter o sucesso desejado ?

Quantas vítimas de arma branca ou de fogo você subiu o morro para socorrer? 
Até mesmo sob a ameaça dos seus algozes… 

Você já parou de jantar ao ouvir o toque do alarme da sua viatura e sair em 30 segundos? 


Já saiu debaixo de fortes chuvas para resgatar um cachorro dentro de um ribeirão ou em uma madrugada fria para socorrer uma parturiente? 


Quantas vezes você ouviu uma vítima lhe perguntar cadê meu filho? 

E você responder ele está bem, mais na verdade ele está morto entre as ferragens do veículo que ocupava… 

Quantas vezes já segurou em teus braços um bebê com parada cardíaca e seus pais chorando a clamar pela vida e você o devolver respirando? 

Quantas vítimas de suicídio com pais, mães e filhos desesperados esperando você socorrê-las.


Em quantas tragédias você já esteve para resgatar vidas, combater incêndios, ou procurar alguém em desabamentos, soterramentos ou retirar famílias ilhadas, motoristas e passageiros de dentro dos seus veículos em uma inundação? Sem contar os riscos.



Se for relatar todas as situações possíveis no teatro de operações, elas não acabariam…

Nunca Julgue um Bombeiro! nunca passe um trote! Nunca atrapalhe o serviço de um Bombeiro. Dê passagem para as viaturas.
Nos respeite pela nossa história… \”


\”Se o meu sorriso fosse capaz de mostrar o fundo da minha alma, muitas pessoas ao me verem sorrir, chorariam comigo\”.


* Jornada de 24×48 aplica-se ao Corpo de Bombeiro Militar de Santa Catarina. Durante a ocorrência de estado de calamidade pública, situação de emergência ou extraordinária perturbação da ordem, poderá  ser convocado para prestar o atendimento necessário, independentemente das formas de cumprimento da jornada de trabalho previstas na Lei. 

Total
0
Shares