Epidemiologia confirma primeiro caso de sarampo em Canoinhas

As pessoas que tiveram contato com o jovem e com os outros seis suspeitos foram acompanhados pelo setor de epidemiologia do município.

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Canoinhas confirmou o primeiro caso de sarampo no município.

Trata-se de um jovem de 21 anos que está curado e não apresenta mais os sintomas da doença. Ele contraiu o sarampo em outra cidade. De acordo com a enfermeira Fábia Sagaz Dias, outros seis casos estão sob investigação.

As pessoas que tiveram contato com o jovem e com os outros seis suspeitos foram acompanhados pelo setor de epidemiologia do município. 

Fizemos o chamado bloqueio que é avaliar cada pessoa. Se não tinha sido vacina ou em caso de perda da carteirinha, a pessoa recebeu a dose da vacina. Foram 440 pessoas examinadas e 49 vacinadas independente da idade informou Fábia.

Este bloqueio da doença é realizado em até 72 horas após o aparecimento das “exantemas”, as manchas que frequentemente aparecem na região do tórax e no rosto.

A enfermeira Hellen Cordeiro afirma que os casos suspeitos e o confirmado são alerta para a população: “crianças menores de um ano não foram imunizadas contra o sarampo e por isso devem evitar sair em locais com grande circulação de pessoas como mercado, igreja e até mesmo festas de aniversário. Quem tiver exantema e febre alta também não pode sair de casa por pelo menos cinco dias”.

Embora estejamos em alerta contra a doença, a população não deve se apavorar: “fizemos o bloqueio dos casos suspeitos, mas é preciso ter atenção. Em caso de dúvida, as pessoas entre seis meses e 49 anos que não tomaram a vacina podem procurar as unidades de saúde para se imunizarem”, comenta. 

As salas de vacina das UBS Central e do Campo funcionam até 19h.

A secretária de Saúde Zenici Dreher informa que um grupo de monitoramento foi criado para manter o cuidado mesmo aos finais de semana e feriados.

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, causada por um vírus, que pode causar complicações à saúde e, em casos mais graves, levar à morte. 

O sarampo é extremamente contagioso, o vírus se espalha facilmente pelo ar e permanece no ambiente por até duas horas. A transmissão ocorre através da respiração, tosse ou espirros. 
Uma pessoa com sarampo pode transmitir a doença para uma média de 12 a 18 pessoas que nunca tenham sido expostas ao vírus anteriormente ou que não tenham se vacinado. A única maneira de evitar o sarampo é com a vacinação.

Pessoas que tiverem as manchas e febre alta devem procurar a unidade de saúde de sua referência ou a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas quando os postos estiverem fechados.

SOBRE A VACINAÇÃO

Quem não tomou as doses quando bebê/criança pode tomar depois?

Sim. Pessoas com idade entre 1 e 29 anos devem receber duas doses da vacina contra o sarampo.

• Caso esteja nesta faixa etária e não tenha tomado nenhuma dose, a indicação é procurar um posto de saúde para atualizar a caderneta de vacinação. As doses devem ser tomadas com um intervalo mínimo de 30 dias.

• Caso tenha tomado apenas uma dose, a indicação é procurar um posto de saúde para completar o esquema vacinal com a segunda dose.

• Quem comprova as duas doses da vacina do sarampo, não precisa se vacinar novamente.

Quem não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão de vacinação ou não se lembra?

Quem não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão de vacinação ou não se lembra precisa atualizar a caderneta de acordo com a seguinte faixa etária:

• De 1 a 29 anos: duas doses

• De 30 a 49 anos: uma dose

Lembrando que tomar a vacina mesmo que você já tenha tomado anteriormente não traz nenhum risco à saúde. Então, se você não lembra se já tomou ou não, é melhor repetir a dose do que ficar sem proteção.

Total
0
Shares