Volta às aulas tem causado apreensão em grande parte dos pais, em Santa Catarina

Muitos dizem que não vão mandar seus filhos à escola, mesmo que isso lhes custe o ano letivo.

A volta às aulas em Santa Catarina, anunciada pelo governo do estado nesta semana, tem deixado mães e pais preocupados.

Paralisado desde o dia 17 de março, o sistema de ensino já tem cronograma de retomada, mas caberá às regiões escolherem se voltam com as atividades, decisão que deve levar em conta fatores como os números de casos e mortes por Covid-19 e a ocupação de leitos de terapia intensiva (UTI).

Começamos uma nova fase. Isso não significa que vamos colocar a responsabilidade na mão de um ou outro prefeito. A autoridade sanitária será compartilhada entre Estado e municípios, disse o governador Carlos Moisés.

Porém, esse retorno às salas de aula tem causado apreensão em parte dos pais, principalmente dos menores:

Crianças não têm senso crítico, não têm o cuidado de prevenção que deve se ter. Mão na boca, mão no olho, mão no nariz, e ainda mais ter que ficar de máscara o tempo todo, dizem os pais. Os professores indagam como será possível cuidar das crianças e dar aulas ao mesmo tempo.

Mesmo com os adolescentes, a preocupação é grande. Os pais têm medo de expor os filhos ao vírus, e eventualmente que eles também contaminem seus familiares. Muitos dizem que não vão mandar seus filhos à escola, mesmo que isso lhes custe o ano letivo.

Diretores de escolas também alertam que ainda faltam ajustes antes que possa haver o retorno dos estudantes.

Precisa avaliar a saúde dos profissionais de educação, que são estes que estarão na ponta recebendo os alunos. E acima de tudo, as escolas precisam receber em quantidade e em tempo hábil, EPIs (equipamentos de proteção individual) e materiais de higienização, disse a diretora de uma escola Escola Estadual em São Joaquim, na Serra.

De acordo com o governo, as aulas presenciais nas redes privada e pública, nas esferas municipal, estadual e federal seguem suspensas até o dia 2 de agosto. A partir do dia 3 podem retomar.

A ideia é que na volta seja feita uma espécie de resumo, para que os alunos que tiveram acesso às aulas online e aqueles que estudaram com as atividades impressas estejam no mesmo nível.

As atividades remotas, que estão sendo feitas pela rede estadual de educação, são consideradas curriculares e serão utilizadas para validar as 800 horas do ano.

Mesmo com a suspensão até agosto, a partir de 6 de julho as aulas presenciais em ensino superior podem ser retomadas, conforme a situação da região, e em 8 de julho, será possível retomar estágios obrigatórios e aulas presenciais em laboratórios.

Total
0
Shares