Crise no Hospital Santa Cruz: ” não é falta de gestão e sim falta de recursos”

Hospital Santa Cruz de Canoinhas é só mais um, dos muitos que estão em crise em Santa Catarina.
Os hospitais filantrópicos respondem por cerca de 70% dos atendimentos em Santa Catarina, mas enfrentam muitas dificuldades. 
O repasse de verbas do governo para os hospitais continua atrasado.
O cenário é péssimo, a situação é caótica nos hospitais do estado. Com uma tabela do SUS que não é atualizada há mais de 20 anos, não há empresa que sobreviva. Se não fossem esses hospitais, o Estado não tinha como atender a população.

Em Canoinhas a situação não é diferente. Na última sexta-feira (08), o Diretor Administrativo do Hospital Santa Cruz  Derby Fontana Neto, seguiu para Florianópolis, em busca da regularização de recursos do Estado.

Atualmente a pendência com a  Secretaria de Saúde do Estado, já perfaz o montante de R$ 856.350,00 (oitocentos e cinquenta e seis mil, trezentos e cinquenta reais).
Fontana esclareceu que o atraso nos repasses de recursos é uma das principais dificuldades enfrentadas pelo Hospital Santa Cruz.

O Diretor Administrativo reuniu-se com com o Superintendente de Administração e Gestão da Secretaria de Saúde do Estado, Vanderlei Vanderlino Vidal, e com o Diretor da AHESC (Associação dos Hospitais do Estado de Santa Catarina).
Entre os assuntos abordados, a parceria nas Redes de Urgência e Emergência foi o principal assunto, pois o Hospital disponibiliza para o Estado, além de sete leitos de UTI para o SUS, a porta de entrada de Urgência e Emergência.

Fontana, que também representou no ato a FEHOSC (Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas do Estado de Santa Catarina), falou também da importância do Plano Operativo que ainda não foi firmado com o Município de Canoinhas, que por ser Gestão Plena, tem que contratualizar primeiro com o município de Canoinhas, para enviar para o Estado assinar, firmando a chamada Contratualização.

Lembrou que dentro do Plano Operativo está o contrato das Redes de Urgência e Emergência, que quanto antes o município assinar, começará a receber as competências de 2019 em dia.

O Superintendente Vanderlei, deixou claro que as diretrizes do novo governo, e principalmente na secretaria de saúde, são pautadas por decisões técnicas, pois saúde se trata com responsabilidade.

Derby Fontana: \”o atraso nos repasses de recursos é uma das principais dificuldades
enfrentadas pelo Hospital Santa Cruz\”.
Nesse governo, os hospitais serão vocacionados, sendo que a Secretaria já tem um estudo pronto, privilegiando aqueles que recebem menos que produzem (caso do HSCC) e reestruturando aqueles que recebem mais do que produzem.

O diretor da AHESC, Braz Vieira, salientou que “os problemas dos hospitais filantrópicos como é o caso do Hospital Santa Cruz de Canoinhas, não é falta de gestão e sim falta de recursos.”

Derby Fontana colocou o HSCC à disposição do Estado, como um parceiro que sempre foi.
Total
0
Shares