Carlos Moisés convida Sérgio Moro para integrar sua equipe de governo

Sérgio Moro com o governador Carlos Moises e o comandante da PM em uma das visitas do ex-ministro a SC — Foto: PMSC/Divulgação

O governador Carlos Moisés, lamentou a saída do ex-ministério da pasta da Justiça nesta sexta-feira (24) e disse que ele seria bem-vindo no estado catarinense.

Moisés se manifestou logo após Sérgio Moro anunciar sua saída do Governo Federal em um pronunciamento no fim da manhã de hoje.

\”Brasileiros perdem com a saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Moro é sinônimo de luta contra a corrupção, condição essencial para a construção de um Brasil melhor. Lamento. Seu trabalho sempre foi correto e ético. Agradeço as parcerias com Santa Catarina. Será bem-vindo aqui\”, afirmou Moisés pelo Twitter.

Durante coletiva ao vivo na tarde desta sexta (24) Moisés reafirmou que o que postou nas redes sociais: \”seria um sonho te-lo na composição do governo. É um homem íntegro,correto, e deu uma grande contribuição ao Governo Federal\”, disse o governador.

Moisés e Moro mantinham trocas de mensagens neste tempo de gestão de ambos. A relação do ministro com Santa Catarina é estreita por contas ações em diferentes áreas.

Manifestações sobre a demissão em SC

Em Santa Catarina, outras autoridades também se manifestação, como o chefe do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC, Fernando da Silva Comin, que assinou uma nota do Conselho Nacional de procuradores gerais do país reconhecendo a atuação de Sérgio Moro.

O presidente do Poder Judiciário de Santa Catarina também de manifestou em nota dizendo que acredita que o Brasil deve superar essa crise e na garantia de independência dos poderes.

Parlamentares também lamentaram pedido de demissão do agora ex-ministro e alguns pedem apuração de fatos citados no discurso do ex-juiz federal.

Pelo Twitter, o deputado Carlos Chiodini (MDB) disse que \”surge uma crise política em meio ao momento de pandemia\” e agradeceu ao ministro Moro.

A deputada Carmen Zanotto (Cidadania), disse receber com tristeza a notícia da saída de Moro, sobretudo por ocorrer em um momento de pandemia do coronavírus, que exige do país unidade para enfrentar os desafios.

Estamos perdendo pilares do processo do nosso combate à corrupção que a gente havia no país. Não só o governo perde com saída do ministro, mas o país perde. Sobre as afirmações de Moro, são falas fortes que precisam ser investigadas. Essas mudanças interrompem um trabalho, ao menos por um período, no momento em que qualquer hora perdida é muito importante para enfrentar os problemas – afirmou a deputada.

\”Sergio Moro manteve a personalidade, a ética e a independência do juiz que ainda está dentro dele. É mais uma crise política dentro das crises da saúde, da economia e também da crise social\”, afirmou o desembargador Ricardo Roesler em nota.

Saída de Moro

O anúncio de demissão de Moro ocorreu após a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Leite Valeixo, homem de confiança de Moro. O ex-juiz disse que foi pego de surpresa com a publicação do ato no Diário Oficial.

Ao anunciar a demissão, em pronunciamento no Ministério da Justiça, Moro afirmou que disse para Bolsonaro que não se opunha à troca de comando na PF, desde que o presidente lhe apresentasse uma razão para isso.

Segundo o ex-ministro, o problema não é a troca do diretor da PF em si, mas o motivo, que seria para colher informações sobre relatórios de inteligência, conforme Sérgio Moro.

Total
0
Shares