Presidente do HSCC de Canoinhas diz que hospital está preparado para atender pacientes com Covid-19

O presidente do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC), Reinaldo de Lima Júnior, participou da sessão da Câmara, de forma remota, e trouxe diversas informações à população.

Reinaldo fez uma explanação de como está a situação atual no hospital diante do combate ao Covid-19, lembrou que não há em Canoinhas nenhum paciente internado com o novo coronavírus, mas que já está tudo preparado caso tenha alguma pessoa em situação grave.

Todos os procedimentos estão sendo feitos diante dos protocolos de saúde. O momento é de parcerias, e isso está acontecendo, o município de Canoinhas sempre foi muito parceiro do Hospital Santa Cruz, isso a bastante tempo. A Câmara sempre faz repasse financeiro para o hospital nos finais de ano ― comentou o presidente.

Quanto a ala preparada para receber pacientes com Covid-19, que funciona desde o dia 3 de abril, Reinaldo informou que do dia 3 a 6 de abril, um paciente esteve internado. 

No dia 7, dois pacientes, no dia 8 somente um. Do dia 9 ao 16 a ala não recebeu pacientes e hoje há um internamento, mas, ao que tudo indica, não tem relação com o novo coronavírus.
Telma Bley lembrou que no momento muitos hospitais estão sem receita, pois estão focados no atendimento do Covid-19, e no momento não estão realizando cirurgias eletivas e internações de outros casos de saúde, o que seria mais uma forma de arrecadação:
Nós temos que ter esperança, e principalmente fé de que tudo vai dar certo. E de que os nossos gestores estejam sendo extremamente competentes nessa questão do monitoramento e da governança.

Zenici Dreher questionou o presidente do Hospital sobre o anúncio da secretaria de estado da Saúde, que pagaria o teto máximo da Política Hospitalar Catarinense a partir do mês de março. 

O presidente do HSCC comentou que apesar do anúncio, ainda não foi recebido nada a respeito da Política Hospitalar Catarinense do governo do estado.
Wilmar Sudoski também comentou sobre a questão financeira, ressaltando que mesmo a saúde necessita pensar também na economia como um todo, contou que o Sebrae anunciou que em Santa Catarina mais de 400 mil pessoas já perderam o emprego, e que o ICMS do estado já teve quedas altas. 
Temos que ter toda preocupação com a saúde, qualquer um de nós pode vir a precisar do hospital, mas também temos que ter preocupação com o lado financeiro. Sou extremamente consciente da parte técnica e das ações que foram tomadas corretamente na parte da saúde, mas a gente necessita pensar um pouco com esse lado financeirO ― comentou o vereador.

Norma Pereira questionou em relação as cirurgias eletivas e de emergências que não estão sendo realizadas em razão do Covid-19. 

Norma também lembrou que talvez pudesse ser o momento para lançar com mais força uma campanha para a população fazer doações ao hospital por meio da conta de energia. 
O presidente do HSCC comentou que sobre as cirurgias, a equipe técnica já está vendo a possibilidade e que na próxima semana deve sair oficialmente um comunicado sobre o assunto.
Paulinho Basilio questionou se há uma nova tratativa para que o município pudesse voltar a fazer repasse financeiro para custeio, que foi impedida pelo Ministério Público (MP). 
O presidente do hospital lembrou que no início de 2019 o MP abriu um inquérito para apurar os recursos repassados para custeio ao HSCC, conforme o presidente o inquérito foi arquivado, e ele intende que sendo arquivado não há indícios de irregularidades.

ASCOM
Total
0
Shares