Canalização do Arroio Monjolo em Canoinhas, que foi determinado pela justiça, é questionado por vereadora

Arroio Monjolo, na Rua a Rua José Boiteux (popular Valetão). Foto: Arquivo
A vereadora Norma Pereira apresentou na sessão desta semana um requerimento questionando à prefeitura sobre a obra de canalização do Arroio Monjolo na rua 12 de setembro, especificamente entre as ruas Joaquim de Paula Vieira e Marechal Floriano. 
Conforme a vereadora, a prefeitura está realizando o trabalho em razão de uma demanda judicial, e nos últimos dias retirou os tubos que estavam no local para serem utilizados na obra, o que ocasionou um espanto dos moradores, e com o requerimento a vereadora quer informações sobre o andamento de todo o processo.

Sabemos que ali tem uma decisão judicial para ser cumprida, e é justo que venha para os vereadores a resposta do que está sendo feito, do cronograma da obra dentro do que foi acertado no processo judicial”, comentou a vereador Norma Pereira.

O requerimento será enviado ao prefeito e ao secretário de Obras, questionando:

  • como está o andamento das obras e qual o prazo de conclusão;
  • porque os tubos de aproximadamente um metro de diâmetro foram retirados do local; 
  • qual o destino que será dado aos tubos retirados do local na sexta e sábado (3 e 4 de julho), e ainda justificar os motivos que levaram a tomar a decisão, deixando os moradores inseguros e sem resposta adequada sobre o ocorrido.
O vereador Gil Baiano comentou sobre o requerimento, lembrando que toda a obra está sendo realizada em razão de um processo judicial, e salientou que a tubulação comprada deveria ser utilizada exclusivamente para o trabalho de canalização do arroio. 

A tubulação já estava no local, então o que eu entendi é que a secretaria de obras está retirando os tubos e levando para outro lugar? Se a compra foi feita para esta obra, teria que ser utilizada nesta obra”, indagou o vereador Gil Baiano.

Assessoria de Comunicação – Câmara de Vereadores de Canoinhas 

Total
0
Shares