Atividades turísticas de Santa Catarina acumula queda de 36,2%

O turismo nacional também apresenta reação, embora menor.

Santa Catarina teve, na passagem de janeiro para fevereiro, uma das principais altas do volume do setor de serviços no país, aponta a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do IBGE, divulgada na quinta-feira (15).

O crescimento, 3,9%, foi o sexto maior entre as 27 Unidades da Federação. Levando em conta o peso de cada setor estadual de serviços no resultado nacional, a alta catarinense foi ainda mais relevante, sendo considerada pelo IBGE uma das quatro principais em fevereiro, ao lado das verificadas em São Paulo (4,3%), em Minas Gerais (3,5%) e no Mato Grosso (14,8%).

Santa Catarina também se destacou pelo aumento de 9,9% do setor de serviços na comparação entre os fevereiros deste ano e do ano passado e de 7,5% no acumulado de janeiro e fevereiro de 2021. Nesses dois indicadores, o país teve variações de -2,0% e -3,5%, respectivamente.

O setor de serviços catarinense mantém um indicador negativo apenas no recorte do acumulado dos últimos 12 meses, período que abrange, em 2020, as quedas de março (-7%) e abril (-13,9%).

Nesse 12 meses, o volume de serviços do estado acumula variação de -2,9%, mas esse resultado negativo vem diminuindo mensalmente – desde maio do ano passado, são dez meses de resultados positivos.

A pesquisa traz, além do volume, os indicadores da receita nominal de serviços. Santa Catarina apresentou, neste caso, aumento de 1,2% em fevereiro e de 7,7% no acumulado de janeiro e fevereiro.

Turismo cresceu em janeiro e fevereiro; nos últimos 12 meses, porém, recuou 36%

O volume das Atividades turísticas de Santa Catarina acumula queda de 36,2% nos últimos 12 meses. O indicador é verificado em 12 UFs, e dez tiveram desempenho pior que o catarinense no período.

Houve, porém, crescimento de 3,7% das Atividades turísticas de Santa Catarina na passagem de janeiro para fevereiro, após crescimento de 6,1% na passagem de dezembro para janeiro.

O turismo nacional também apresenta reação, embora menor (2,4% e 0,6% nos dois recortes anteriores).

Cinco grupamentos de atividades de serviços são investigadas pela PMS em todo o país. Entre elas, apenas a de Serviços prestados às famílias (formada por Serviços de alojamento e alimentação e Outros serviços prestados às famílias) mantém um volume de serviços negativo até fevereiro deste ano, -20,9%. No acumulado do ano passado inteiro, o decréscimo foi ainda mais acentuado (-26,3%).

No outro extremo, Serviços profissionais, administrativos e complementares acumula alta de 27,3% em janeiro e fevereiro. Serviços de informação e comunicação e Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio cresceram pouco mais de 9% nos dois meses, e Outros serviços, 5,8%.

Total
0
Shares