Transmissão do vírus da covid na região do Planalto Norte é a maior do estado

Índice de transmissibilidade está acima de 2,0 em algumas regiões; cada 100 pessoas infectadas transmitem para outras 200.

A Secretaria de Saúde de Santa Catarina (SES/SC) pede que a população reforce os cuidados e as medidas de prevenção com relação à Covid-19, tendo em vista o expressivo aumento do número de casos da doença na última semana.

Com relação a confirmação de novos casos, todas as regiões de saúde apresentaram variação positiva, sendo que o maior aumento foi no Planalto Norte (+851%) e o Alto Vale do Rio do Peixe (+ 634%).

O Boletim Epidemiológico publicado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE), mostra que o elevado índice de confirmação de novos casos no estado tem relação tanto com a circulação comunitária da variante Ômicron que, segundo estudos, tem se mostrado ter alta transmissibilidade, quanto com o aumento da população de Santa Catarina devido à temporada de verão.

“No verão, especialmente nas cidades litorâneas, é normal que haja o aumento da circulação de pessoas. Isso também faz com que o vírus circule mais. Além disso, podemos ver que o índice de transmissibilidade da doença está acima de 2,0 em algumas regiões do estado, o que significa que cada 100 pessoas infectadas transmitem o vírus para outras 200. Em dezembro, as taxas estavam abaixo de 1,0”, ressalta o diretor da DIVE. 

Para os próximos dias, segundo estimativa calculada com base em novos casos notificados, a previsão é de continuidade de crescimento da média móvel de novos casos.

Entre os dias 09 de janeiro de 2022 e 18 de janeiro de 2022, a estimativa é que o estado registre 36.500 casos novos, uma média de 3.650 casos por dia. Nas últimas 24h, porém, Santa Catarina passou da média estimada visto que registrou mais de 8 mil casos em um só dia.

Por esse motivo, é de extrema importância que a população reforce e mantenha as medidas de prevenção a Covid-19 com o uso de máscara em ambientes fechados ou nos ambientes abertos com aglomeração; higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool em gel; distanciamento social de, no mínimo, um metro, evitando ao máximo aglomerações; preferência por frequentar espaços ao ar livre, bem ventilados; além do cuidado ao fazer viagens, fazendo-as somente se for muito necessário. 

Outra medida de extrema importância é a vacinação. É essencial que a população acima de 12 anos fique atenta ao seu esquema vacinal e vá até um ponto de vacinação para tomar a primeira, segunda ou dose de reforço, dentro do prazo adequado para cada dose.