Mistério envolve morte de canoinhense em Curitiba

Avatar
Local do crime (foto a esquerda) no bairro Alto Boqueirão. Foto: Daniela Sevieri/Banda B – Maxwell Andrade (à direita). Foto: Reprodução
Após a notícia da morte do canoinhense Maxwell de Andrade, de 43 anos, que foi encontrado no sábado (22), em Curitiba (PR), dentro de um carrinho de material reciclável, as redes sociais inundaram-se de mensagens lamentando o passamento do comunicador.

Uma delas foi de Fabricio Tambolo, apresentador e locutor da radio Tambolo FM, onde Maxwell também trabalhava.

Ele, como os outros colegas de trabalho, estão tentando entender como e porquê aconteceu o crime. A polícia, a princípio, acredita em execução.  Em um vídeo postado nas redes sociais, Fabricio fala da ida de Maxwell para o Paraná:

“Ele deixou tudo em Santa Catarina pra vir nos ajudar nessa pré-campanha 2020”, disse Fabricio. “Ele que morava numa comunidade carente, em Riacho Doce ( São José dos Pinhais), sabia o que tava acontecendo nessa pré-campanha, a dificuldade que a gente tá tendo, enfim […]. A gente não sabe o que houve, não tem fatos concretos ainda”.

Pelas palavras de Fabricio, entende-se que ele era pré-candidato e Maxwell  deixou Canoinhas rumo ao Paraná para apoiar o projeto do amigo.

“Infelizmente nos últimos dias a gente tinha sentido ele bastante ausente da equipe, a informação que nos passava é que estava em Santa Catarina resolvendo uns problemas dele”.

Fabricio contou que seu filho montou há pouco tempo a RádioTambolo FM e Maxwell estava ajudando a montar o estúdio. “Havia toda uma expectativa de trabalho em nossa comunidade. É difícil perder um irmão, como ele, uma pessoa com um dom nato, que já nasceu locutor, não tem como descrever um profissional igual a ele”.

“Max era carismático, humilde, um cara pra frente, sempre correndo muito atrás pra resolver o problema dos outros do que o problema que ele tinha ou poderia estar vivendo. Um dia muito triste, que com certeza vai ficar pra história da comunicação de São José dos Pinhais e toda Santa Catarina”, disse Fabricio.

O CRIME

Um catador de lixo foi preso em flagrante, na tarde de sábado (22), após ser pego transportando um homem morto dentro do próprio carrinho, em uma rua do bairro Alto Boqueirão, em Curitiba.

Após receber uma denúncia anônima, sobre uma situação estranha, a Polícia Militar compareceu ao local e encontrou o cadáver dentro de um saco usado para materiais recicláveis, envolvido por três cobertores.

Em entrevista ao portal Banda B, um perito do Instituto de Criminalística informou que o carrinho estava cheio de sangue e a vítima apresentava sinais de pelo menos três tiros, além de diversos ferimentos no crânio que, inclusive, ficou deformado.

A polícia acredita que Maxwell tenha sido executado e o catador tenha sido pago para dar um destino ao corpo. O suspeito foi encaminhado à Central de Flagrantes. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Maxwell era natural de Canoinhas, tendo trabalhado como locutor em algumas emissoras de rádio locais. Atualmente, trabalhava na Rádio Tambolo de São José dos Pinhais.

Maxwell deixa esposa e dois filhos, de 5 e 11 anos. Seu sepultamento ocorreu na tarde deste domingo (23), em Canoinhas.

Total
0
Shares