Ex-ministro da Educação é preso por suspeita de corrupção no MEC

Operação investiga o balcão de negócios montado por pastores na pasta comandada pelo ex-ministro, também presos na ação desta quarta.

noA Polícia Federal prendeu na manhã desta quarta-feira (22) o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro. Ele é investigado por corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência por suposto envolvimento em um esquema para liberação de verbas do MEC. A operação foi denominada “Acesso pago”.

As ordens judiciais foram emitidas pela 15ª Vara Federal Criminal da Seção Judiciária do Distrito Federal, após declínio de competência à primeira instância. A investigação corre sob sigilo. O mandado contra Ribeiro é de prisão preventiva.

Batizada de “Acesso Pago”, a ação investiga a prática de tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, vinculado ao Ministério da Educação.

Ribeiro deixou a pasta em março após a revelação de áudios em que ele negociava a liberação de fundos do FNDE com pastores.

O ex-ministro foi preso em Santos e que ele deve ser levado para Brasília. Segundo o porteiro do prédio em que ele mora, Ribeiro foi levado por volta das 7h.

O advogado Daniel Bialski, que representa Milton Ribeiro, disse que não vê “motivo concreto” para a prisão do ex-ministro da Educação.

A PF cumpriu 13 mandatos de busca e apreensão em endereços ligados aos investigados e cinco de prisão em Goiás, São Paulo, Pará e no Distrito Federal, além de medidas cautelares diversas como proibição de contatos entre os investigados e envolvidos.


Leia também