iptu_2024_canoinhas

bom_apetite_canoinhas


Mulher confronta a polícia utilizando facas, é baleada e morre em SC

Avatar photo
Comando da PM diise, em Nota, que toda a ação policial foi dentro da legalidade, e toda a ação foi filmada por câmera policial.

Uma mulher de 41 anos morreu após confrontar policiais militares que foram até uma residência verificar uma situação de invasão e ameaça. O caso foi registrado na cidade de Lacerdópolis, no Meio-Oeste catarinense, por volta das 5h da madrugada deste domingo (11).

Mareonice foi alvejada por disparos de arma de fogo e morreu no local — Foto: Redes Sociais

De acordo com informações da Polícia Militar, a mulher teria arrombado a casa onde o ex-marido mora com os filhos, e feito ameaças. Ele então acionou a PM.

Os agentes a encontraram bastante alterada, sendo que a mesma partiu para cima deles com duas facas em punho, sendo utilizado arma não letal para tentar contê-la (pistola conhecida como Taser).

No entanto, a tentativa não foi bem sucedida, e o avançar para a via pública, a mulher persistiu em sua conduta agressiva, portando as facas. Segundo a PM, apesar das várias tratativas de diálogo, a mulher continuou investindo contra os policiais que, para se defender, efetuaram disparo letal.

Um deles atingiu a perna da mulher, enquanto um segundo, fatal, acertou sua região torácica. A quantidade exata de tiros não foi confirmada oficialmente. Ela morreu no local, na rua.

A cena foi isolada e a Polícia Científica foi chamada para realizar os procedimentos e o recolhimento do corpo. De acordo com informações obtidas pela equipe da Rádio Nativa de Capinzal, a mulher foi identificada como Mareonice Varela. Ela deixa dois filhos, uma menina de 14 anos e um menino de 9.

O comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar de Capinzal, Major Vilmar Rosa, emitiu uma Nota Oficial sobre a ocorrência, lamentando a morte da mulher e informando que dois inquérios serão abertos para apurar os fatos (veja abaixo a nota na íntegra).

Segundo o comandante, a vítima estava bastante alterada e ameaçava matar todo mundo, tendo inclusive desferido um golpe de faca no peito de uma policial feminina, sendo que o colete protegeu de ocasionar uma lesão grave.

Nota Oficial

“Toda a ação da polícia, apesar de evidente a legítima defesa dos policiais e de terceiros, não afastará a apuração dos fatos. Serão abertos dois inquéritos: um inquérito policial militar (IPM) e outro inquérito policial (IP), este último feito pela polícia judiciária.

Cumpre ratificar que toda a ação policial foi dentro da legalidade, e toda a ação foi filmada por câmera policial. Lamentável a perda da vida.

Quanto à crítica ao trabalho policial, sobre os fatos, fica um breve resumo: Pai e filhos estavam em casa, dormindo. Foram surpreendidos pelo arrombamento da casa por sua ex-mulher, alterada, ameaçando-os de morte. Pediram socorro para a polícia. No local foi tentado dialogar com a autora, que ameaçava matar todo mundo, soltando um Pit Bull para cima dos policiais. Cachorro esse contido pelo dono e ex-marido da autora. Desferiu um golpe de faca no peito da policial feminina, sendo que o colete protegeu de ocasionar uma grave lesão.

Foi tentado conter a agressora, inclusive com a utilização de armamento menos letal (spark, mais conhecido por taser), ainda assim a autora e agressora fugiu para dentro da casa e retornou com duas facas, investindo novamente contra os policiais. Realizando o primeiro disparo nas pernas da mesma, qual não parou de investir contra os policiais. A autora teve diversas oportunidades de cessar a agressão. Porém, optou por investir contra a vida dos policiais. Lamentável a perda da vida.

Mas se os policiais não tivessem agido dentro da lei, seriam outras vidas inocentes, ceifadas. Mas os policiais devem e agiram dentro da lei. Por último, fico à disposição da sociedade para esclarecer e aclarar os fatos.”

Capinzal – SC, 11 de fevereiro de 2024.

Major Vilmar Rosa