Deputado, prefeito e vice são alvos do GAECO na 5ª fase da Mensageiro

Avatar photo
A nova fase da operação teve “sigilo cinco” decretado – é o mais alto grau de sigilo determinado pela Justiça.

LEIA TAMBÉM

 — PUBLICIDADE —
Whatsapp Emecar Canoinhas

Na manhã desta segunda-feira (29), foi deflagrada a 5ª Fase da Operação Mensageiro, que apura esquema de fraude em licitação, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro nos setores de coleta e destinação de lixo, de abastecimento de água e de iluminação pública em diversas regiões de Santa Catarina.

As ordens de prisão e de busca e apreensão são relacionadas a infrações que teriam ocorrido em duas cidades catarinenses – uma no Vale do Itapocú e outra na Região da Foz do Rio Itajaí e foram cumpridas pelo GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas) e GEAC (Grupo Especial Anticorrupção (GEAC) do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

Foram cumpridos quatro mandados de prisão preventiva e 19 de busca e apreensão. Um dos alvos foi o deputado estadual Emerson Luciano Stein (MDB), ex-prefeito de Porto Belo, no Litoral Norte. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão contra ele.

Durante a operação também foram presos o prefeito Clézio Fortunato e o vice Jaime Antonio de Souza, de São João do Itaperiú, no Norte de Santa Catarina. 

De acordo com o MPSC, após mais um ano de análise das evidências coletadas, da realização de novas diligências investigativas e com a oitiva de diversas testemunhas e investigados, foi identificada a possibilidade da prática de novos crimes envolvendo, dessa vez, a prestação de serviços de abastecimento de água e de iluminação pública em dois municípios catarinenses.

Uma das ordens judiciais de prisão preventiva foi cumprida no Estado de São Paulo. A Polícia Rodoviária Federal prestou apoio no cumprimento das buscas.

A apuração ainda corre em sigilo, por determinação judicial, mas, assim que houver a publicidade dos autos, novas informações poderão ser divulgadas.