saude

bom_apetite_canoinhas

Polícia investiga morte após briga por garrafa de bebida em Mafra

Avatar photo
Polícia Civil investiga morte de dois amigos após briga em bar, por motivo fútl, e acidente de carro em Mafra.

LEIA TAMBÉM

Whatsapp Emecar Canoinhas

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Mafra, segue investigando os fatos que levaram à morte de Jefferson Dittrich e Jean Tiago Elias de Souza, na madrugada da última sexta-feira (24). De acordo com o delegado regional Cassiano Tiburski, a briga em um bar, por conta de uma garrafa de bebida, culminou em um acidente de carro, e posteriormente em uma agressão que pode ter contribuído – ou sido a causa – da morte de Jean Tiago.

Segundo o delegado regional Cassiano Tiburski, os dois amigos estavam em um bar quando se desentenderam com outros homens que bebiam no local. A briga teria ocorrido por conta de uma garrafa de bebida que estava em cima da mesa.

Gerou uma discussão se a bebida seria de um grupo ou de outro, e aí começaram um desentendimento. Daí, as vítimas do acidente foram para fora, pegaram o veículo e saíram com o carro em alta velocidade e acabaram batendo” conta o delegado.

Ainda segundo Tiburski, após as vítimas saírem do bar e baterem o carro, o outro grupo que se envolveu na discussão foi até o local para ver a situação do acidente e um dos indivíduos agrediu o motorista, que posteriormente foi encontrado morto, a cerca de 100 metros do acidente, caído na rua. Ele apresentava um ferimento lacerante na região do crânio e face, e já estava sem sinais vitais quando a equipe de resgate chegou.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, o delegado Tiburski informou que o agressor, e todos os envolvidos, já foram identificados pela Polícia Civil. A investigação busca determinar se o comportamento do rapaz que aparece nas imagens de vídeo, agredindo o motorista, foi determinante para a morte da vítima.

O delegado informou que se ficar comprovado que o comportamento dele, ou de qualquer outro, causou a morte, será caracterizado como crime de homicídio doloso, na modalidade de dolo eventual, ou seja, quando a pessoa assume o risco de matar.

No entanto, esclarece Tiburski, “a Polícia Civil ainda depende de algumas provas, principalmente dos laudos periciais sobre veículo e local do crime, além da necropsia feita na vítima. Esses laudos serão determinantes para esclarecer a responsabilidade desse agressor, ou de outros agressores“.

A investigação do caso está a cargo do delegado Eduardo Borges, da DIC de Mafra. A unidade está fazendo análise de dezenas de imagens de câmeras de segurança, inclusive do bar onde houve a briga, e várias pessoas foram interrogadas ainda no dia dos fatos.

Uma coisa é certa. O agressor, ou agressores, vão ser responsabilizados“, afirma o delegado. “A Polícia Civil está profundamente engajada em esclarecer todos os fatos para que os culpados sejam punidos“, finalizou.