Uma mulher morta e outra baleada: “Foi sem intenção de matar”, diz suspeito dos crimes no PR

Homem que atirou em esposa e enteada diz que tiros ‘foram acidentais’/RPC/Divulgação

Uma mulher de 39 anos foi morta a tiros e outra, de 62, foi baleada e levada para o hospital em estado grave na tarde do último domingo (8), em Maringá, no norte do Paraná.

O suspeito dos crimes, um homem de 57 anos, fugiu após os disparos, mas foi preso horas depois pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Arapongas, a cerca de 60 quilômetros do local do crime.“Eu não tinha intenção de matar ninguém”, afirmou o suspeito à polícia.

O comerciante Valdomiro Campos baleou a esposa e a enteada após uma discussão durante a festa de aniversário em que ele comemorava 57 anos. O crime aconteceu na residência do casal.

Local onde os crimes aconteceram. Foto: Solange Riuzim/RPC

Os disparos atingiram a enteada do comerciante, Francielle Cristina Orioli, de 39 anos, e a esposa dele, Elizabeti Orioli, de 62 anos. Francieli morreu no local. Elizabeti foi operada e está internada na UTI do Hospital Metropolitano, em Sarandi.

Campos disse à polícia que a discussão teve início porque um sobrinho estava dormindo na cama dele. Em meio à briga, ele relatou que pegou uma bolsa e o revólver, para deixar em casa.

“Foi acidental, porque do jeito que eu peguei a arma, elas vieram para cima de mim. Puxei o revólver , elas vieram e me empurraram. Puxei o dedo, aí [o tiro] pegou em uma. Aí [outro tiro] saiu de novo na outra”, disse o suspeito.

Após os disparos, ele fugiu do local em um carro e acabou abordado e preso pela Polícia Rodoviária Federal.

De acordo com a PRF, Campos não ofereceu resistência e confirmou que havia efetuado disparos contra a esposa e a enteada.

A arma que teria sido utilizada no crime, um revólver calibre 32, foi encontrada sob um banco do veículo, com duas munições deflagradas e quatro intactas. O revólver não tinha registro.

Além da arma, também foi apreendida uma bolsa com R$ 4.009 em dinheiro. Os objetos apreendidos foram entregues na delegacia de Maringá.

Ainda segundo a PRF, o comerciante foi submetido ao teste no bafômetro que apontou 0,27 miligrama de álcool por litro de ar expelido. Ele foi autuado em flagrante por feminicídio e tentativa de feminicídio.

“Ficou comprovado que há prova da existência dos crimes e indícios suficientes da autoria, sendo que a gravidade da infração praticada demonstra que a segregação provisória do autuado deve ser decretada, principalmente, em razão da garantia da ordem pública”, apontou o juiz, na decisão.

Na segunda-feira (9), ele teve a prisão em flagrante convertida em preventiva pelo juiz Cláudio Camargo dos Santos, da 1ª Vara Criminal de Maringá.

A enteada morreu na hora e a mulher do suspeito foi atingida por dois disparos de arma de fogo, sendo socorrida em estado grave.

Total
0
Shares