Apesar da pandemia, Epagri encerra 2020 com metas superadas

Avatar
Foto: Jefferson Baldo

Apesar de todas as dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19, a Epagri conseguiu metas estabelecidas para 2020, entre elas a de lançamento de novas tecnologias. 

A extensão precisou se reinventar e alcançou grande sucesso com capacitações on-line. A Empresa também atuou intensamente na minimização dos efeitos da estiagem e no apoio ao enfrentamento da pandemia.

“Diante de um ano tão atípico, a Epagri provou seu compromisso com a sociedade, mantendo suas atividades essenciais e encontrando formas de estar perto do seu público”, resume Edilene Steinwandter, presidente da Empresa.

Ela lembra que 2020 não foi fácil, em decorrência da diversidade de eventos climáticos extremos que se somaram à pandemia, como granizos e vendavais, além da estiagem. 

“Mas são nos momentos difíceis que os fortes mostram seu valor e foi o que os catarinenses fizeram neste ano. A Epagri se manteve firme, no seu papel de garantir desenvolvimento sustentável dos meios rural e pesqueiro e, junto com os produtores, manter a segurança alimentar da população”.
Epagri incluiu ora-pro-nobis em cestas básicas oferecidas a famílias em situação de fome. Foto: Epagri/Divulgação

O corpo de pesquisadores da Epagri desenvolveu e lançou ao longo do ano 21 tecnologias, superando a meta estabelecida pelo governo do Estado, que é 14.

Foram lançados três cultivares: de arroz irrigado, de cebola e de pastagem azevém anual. 

Também foram entregues à sociedade seis softwares, como o de sistema de sistema de preços agropecuários, avaliação do estado nutricional e recomendação de adubação para videiras americanas e o de Informações climáticas e hidrológicas dos municípios catarinenses.
A Epagri também lançou três equipamentos, um para plantio direto de cebola, um verificador de offset portátil e o sistema automático de monitoramento e controle de temperatura para fermentadores de bebidas alcoólicas. 
Na área de zoneamento, a Epagri entregou em 2020 a delimitação da região produtora de vinhos de altitude de Santa Catarina para indicação geográfica, e o mapeamento do uso do solo e da paisagem vitícola na região de indicação de procedência dos vinhos de altitude de Santa Catarina.

Foram capacitadas 10.334 famílias agricultoras e pescadoras.

A pandemia e consequente necessidade de isolamento social levou a Epagri a migrar em março para o formato de capacitações on-line. Assim, do total de mais de 10 mil famílias capacitadas, 3.310 se deram no ambiente virtual.

Para enfrentar os novos tempos de isolamento social a Epagri criou o canal Capacitações On-line onde cursos, palestras e eventos são ministrados ao vivo e permanecem disponíveis para o público em geral. 

Essa ação ampliou muito o alcance das atividades de formação. Até dezembro foram disponibilizados no canal 87 cursos, que alcançaram mais de 171 mil visualizações.

O ano ainda trouxe eventos naturais extremos, com registro de estiagem, vendavais e granizo. Nesse contexto, a Epagri realizou 904 perícias e laudos técnicos, a maioria deles (401) em decorrência da estiagem, seguido por vento forte, com 239 documentos.

Esforços contra a estiagem

Os baixos índices de chuva verificados entre junho de 2019 e novembro de 2020 provocaram a pior estiagem que Santa Catarina enfrentou desde 1957. Neste cenário, a Epagri teve forte atuação.

Foto: Julio Cavalheiro / Secom
Para minimizar os efeitos da prolongada falta de chuvas, os extensionistas da Epagri executaram projetos e deram orientação para agricultores acessarem as políticas públicas adequadas. Também foi ainda mais reforçada a disseminação de práticas conservacionistas de água.

O Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Epagri/Ciram) fez o monitoramento constante de níveis de rios e de chuva e identificou em 2020 quatro períodos de crise hídrica que resultaram na emissão de 114 avisos hidrológicos de estiagem. 

O sistema de monitoramento ambiental da Epagri/Ciram é composto por mais de 300 estações agro-hidrometeorológicas. Em 2020 foram medidos e armazenados cerca de 33 milhões de dados. Destes, mais de 5 milhões são de níveis de chuva e de rio.

Durante a estiagem, o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa) acompanhou as safras para identificar as cadeias produtivas mais atingidas pela escassez de água.

Luta contra a pandemia

A pandemia da Covid-19, que alterou a realidade mundial em 2020, também teve reflexos na Epagri, como era de se esperar. 

A equipe agiu de forma rápida e em poucos dias teve início uma mobilização que desencadeou ações em várias frentes, visando atender às demandas mais urgentes. A equipe técnica também foi ágil na adaptação e encontrou novas formas de continuar desenvolvendo e levando conhecimento ao meio rural catarinense.

Assim que crise se instalou, profissionais da Epagri se mobilizaram para fabricação de máscaras distribuídas aos colegas que precisavam continuar trabalhando, além de hospitais, Defesa Civil, asilos e outras instituições. 

O Centro de Treinamento da Epagri em São Miguel do Oeste destinou 600 litros de cachaça artesanal que tinha em estoque para ser transformada em álcool 70% num alambique da cidade. 
Em Curitibanos, uma ação conjunta entre Epagri, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), prefeitura e a família de agricultores Girotto, transformou álcool 46% em 70%.

Outros profissionais da Epagri passaram a recolher óleo usado na vizinhança e produzir em suas próprias casas sabão e outras materiais de limpeza. A produção foi distribuída entre indígenas e outros públicos que manifestaram interesse.

Os extensionistas da Epagri entraram em ação na orientação, criação, organização e divulgação de entregas de alimentos diretamente do produtor na casa dos clientes. O modelo provou-se um sucesso e, na maioria dos casos, persistiu mesmo com o retorno das atividades do comércio.

Com a necessidade de distanciamento social, as atividades da extensão, que são essencialmente coletivas e presenciais, ficaram em risco. 

A internet foi o caminho mais curto para fazer a mensagem da Epagri ir mais longe e mais rápido. Além de contatos via WhatsApp diretamente entre extensionistas e seus assistidos, as redes sociais começaram a ser usadas para transferir conhecimento e informações aos públicos da Empresa.
Total
0
Shares