Detento usa atestado de Herpes para provar que é grupo de risco para covid

Avatar
Com receita para tratamento de herpes, detendo pleiteou prisão domiciliar por ser de risco para covid.
homem atras das grades

Preso em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e de associação ao tráfico, um homem teve pedido de prisão domiciliar negado após apresentar um atestado de Herpes e pleitear prisão domiciliar.

Herpes: vírus que causa feridas contagiosas, na maioria das vezes ao redor da boca ou nos órgãos genitais.

A Justiça entendeu que a simples apresentação de um atestado não inclui o apenado no grupo de risco da Covid-19.

Em comarca do norte do Estado, segundo a denúncia do Ministério Público, três homens foram presos em flagrante com 1,2 quilo de maconha e quase 200 gramas de crack, em janeiro de 2021.

O acusado revelou de quem comprava a droga e detalhou a participação de cada elemento identificado na ocorrência. Assim, a prisão em flagrante foi convertida em preventiva.

Inconformado com a prisão, o homem, que também armazenava a droga em casa, impetrou habeas corpus. Alegou que está acometido de doença que o insere no grupo de risco da Covid-19. Lembrou que tem residência fixa e requereu a concessão da prisão domiciliar.

Segundo anotou o relator, “o detento somente apresentou receituário para tratamento de Herpes, não havendo qualquer indício, de fato, de que ele pertence ao grupo de risco da covid-19”.

Apesar de ser primário, o acusado já havia sido preso em flagrante por tráfico de drogas em 2019.

Desta forma, o pedido foi negado pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC, sob a relatoria do desembargador Carlos Alberto Civinski.

Total
0
Shares