Suspeito de feminicídio morre três dias após o crime em SC

A polícia aguardava o homem receber alta para entender o que teria motivado o crime.

Um homem de 42 anos, suspeito de assassinar a esposa e depois atear fogo em um veículo, com ele e a mulher dentro, morreu neste domingo (9), três dias após o crime, que ocorreu em Dionísio Cerqueira, na região Oeste de Santa Catarina.

Licério Zeppe, de 42 anos, suspeito de assassinar a companheira e depois atear fogo no carro com o corpo dela dentro. Foto: Oeste Mais/Reprodução

Licério Zeppe estava internado desde a última quinta-feira (6), data do crime, no Hospital Regional de São Miguel do Oeste, com 90% do corpo queimado. A polícia aguardava o suspeito receber alta para entender o que teria motivado o crime.

O crime

Cleci Kehl Zeppe, de 34 anos, foi encontrada carbonizada dentro de um veículo às margens de uma estrada na localidade de São Pedro de Tobias, interior de Dionísio Cerqueira.

Cleci Kehl era colaboradora do Fórum da comarca de Dionísio Cerqueira e deixa duas filhas. Foto: Reprodução

O companheiro também estava no veículo, com cerca de 90% do corpo queimado e ferimentos na cabeça, sendo encaminhado ao hospital em estado grave. A suspeita é que Licério tenha ateado fogo no carro com ele e a mulher dentro.

A polícia trabalha com a hipótese de que Cleci tenha sido morta antes do carro pegar fogo. Isto porque, na casa deles, foram encontrados indícios de que o assassinato ocorreu em um dos cômodos do imóvel.

A morte do suspeito, neste domingo, foi confirmada pelo delegado Claudir Stang. Segundo ele, mesmo após a morte do homem, as investigações sobre o caso continuam. 

“O procedimento continua em trâmite para saber as causas e o que o levou a cometer o crime de feminicídio e, agora, o de suícidio consumado”, explicou.

Cleci Kehl era colaboradora terceirizada do Fórum da comarca de Dionísio Cerqueira e deixa duas filhas, uma de seis e outra de 15 anos de idade.

error: Conteúdo indisponível para cópia !!