Vídeo: Caminhoneiro relata decisão difícil na PR-160: “Bato no carro ou jogo pro mato?’

Avatar photo
O caso aconteceu na segunda-feira (1º) em um trecho de pista simples da rodovia, entre Curiúva e Telêmaco Borba.

LEIA TAMBÉM

 — PUBLICIDADE —
Whatsapp Emecar Canoinhas

O caminhoneiro Osni Antônio de Oliveira, que foi filmado evitando um engavetamento em uma obra na PR-160, afirma que agiu para evitar mortes de terceiros.

Quando eu vi o carro branco parado e a carreta eu peguei e falei: ‘Ai, meu Deus, o que será que eu faço agora? Bato no carro ou jogo pro mato?’. Daí, veio a ideia de jogar pro mato. Eu falei: ‘Eu vou perder o caminhão e vou perder a minha vida, mas não vou perder a vida de quem está nos carros‘. Foi o que eu pensei no momento!”, afirma. Assista à cena no vídeo abaixo.

O caso aconteceu na segunda-feira (1º) em um trecho de pista simples da rodovia, entre Curiúva e Telêmaco Borba, no Paraná. A cena foi filmada por outro caminhoneiro que estava parado em um ponto de pare-e-siga.

No vídeo, é possível ver um trabalhador escapando por segundos de ser atropelado. Oliveira conta que por falta de sinalização não conseguiu ver o trânsito bloqueado a tempo de conseguir parar atrás da fila.

É uma descida até meio forte e a sorte é que eu estava em baixa rotação, descendo bem devagar. Quando eu fiz a curva eu vi o trânsito parado, mas, lá no alto, não tinha sinalização nenhuma“, lembra.

Oliveira conta que teve que tomar a decisão difícil em cima da hora.

“Pensei: se acontecer [um acidente] vai acontecer só comigo, não com outras famílias”, afirma.

Funcionário da obra escapou por pouco

Outro caminhoneiro flagrou, em vídeo, um trabalhador escapando por segundos de ser atropelado no momento em que Oliveira desviou o veículo.

As imagens mostram que a alteração no trânsito era sinalizada pelo funcionário da obra de tapa-buracos realizada no local.

O trânsito na região estava no sistema pare e siga, quando uma mesma faixa é usada de forma alternada por motoristas dos dois sentidos da rodovia.

No vídeo, o caminhoneiro comenta que não havia sinalização metros antes da obra. Ele também afirma que, como o trecho fica em uma descida, é difícil frear um caminhão se não houver sinalização prévia.

Assim que ele termina de falar, outro caminhão que trafegava no mesmo sentido desvia dele e passa pelo acostamento, quase atropelando o trabalhador que segurava o tráfego na rodovia.

O homem consegue correr e desviar a tempo de não ser atingido, assim como os carros que estavam na pista contrária. Ninguém se feriu.

Logo após o ocorrido, o motorista que estava filmando questiona os funcionários da obra sobre a sinalização.

“Cadê o carro pra sinalizar lá em cima? Cadê o carro pra sinalizar lá do outro lado? Que irresponsabilidade do chefe de vocês!”, afirma. Qual o nome da empresa?

Em nota, o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) informou que a empresa que estava prestando os serviços de tapa-buracos no trecho, a Eco Sul Brasil Construtora Eireli, “não seguiu os padrões de sinalização de tráfego e segurança exigidos para este tipo de operação, conforme previsto em contrato”.