Prefeito de Papanduva vai à São Paulo em busca de vacina contra covid

Avatar
Prefeito Saliba esteve no Instituto Butantan em São Paulo. Foto: Arquivo pessoal

Nesta quinta-feira (10), o prefeito de Papanduva, Luiz Henrique Saliba, esteve na capital paulista, onde o assunto em pauta foi a vacinação contra o coronavírus.

O chefe do executivo Papanduva pretende avançar nas tratativas para trazer a imunização para os municípios do planalto norte:

“Estou em São Paulo participando do protocolo de intenções entre FECAM e Instituto Butantan, nessa parceria que formaliza o interesse dos municípios catarinenses em adquirir a vacina Coronavac, após a aprovação pela ANVISA”, postou Saliba em rede social. “Estamos na luta, pensando sempre na saúde e proteção da nossa população”.

Foto: Prefeitura de Papanduva/Divulgação

Saliba representou os prefeitos do Planalto Norte catarinense, juntamente com outros governantes e autoridades de vários municípios e estados do Brasil. 

Para o prefeito este é um passo muito importante, visto que, quanto antes a população tiver acesso a vacina e for imunizada, haverá a diminuição da transmissão do vírus, salvando vidas e normalizando as atividades:

“Essa atitude promovida pela FECAM, na qual participamos na data de hoje, é muito pontual e importante, tanto para a preservação de vidas e prevenção da nossa gente, que são prioridades, quanto para a recuperação econômica”; destacou.

VACINA CHINESA

O governo de São Paulo disse nesta quinta-feira (10) que o Instituto Butantan iniciou o envase da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 produzida em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Doria anunciou que dará início na aplicação da vacina Coronavac, após a aprovação pela ANVISA.

O Instituto Butantan, ligado ao governo paulista, está testando no país a CoronaVac e será responsável pela produção local do imunizante.

Por outro lado, a ANVISA teria apontado um considerável número de pontos fora dos padrões exigidos no Brasil após a inspeção feita na semana passada na fábrica da Sinovac, na China, que está produzindo a vacina CoronaVac, de acordo com o site da revista Veja.

As falhas, segundo a revista, seriam em sua maioria questões menores, mas existem pontos de maior relevância que precisam ser corrigidos para que a CoronaVac obtenha a certificação no Brasil.

A Anvisa não confirmou o teor da informação publicada pela Veja.

Total
0
Shares