Covid-19 pode ser mais agressiva em reinfecção, alerta Fiocruz

Avatar
Um segundo contato com o novo coronavírus pode levar ao risco de uma resposta inflamatória mais intensa, com sintomas mais fortes.
transmissão virus pelo ar

Os cientistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Instituto D’Or de Ensino e Pesquisa (Idor) divulgaram um estudo, que ainda está na fase preliminar, mostrando evidências de que a Covid-19 pode ser mais agressiva em casos de reinfecção.

Pessoas que tiveram quadros leves, moderados e até assintomáticos da doença podem não ter desenvolvido a imunidade desejada e adequada.

Em um possível segundo contato com o novo coronavírus, isso pode levar ao risco de apresentar uma resposta inflamatória mais intensa, com sintomas mais fortes.

Os cientistas reforçam que os dados apontam a necessidade de manter o uso das máscaras, higiene das mãos e o distanciamento social, mesmo para quem já tenha contraído a Covid-19.

Em Santa Catarina, foram notificados 35 casos de reinfecção, sendo 21 descartados, 1 confirmado na cidade de Lages, e 13 aguardando resultado.

O que significa uma nova variante?

Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), a presença de mutações é um processo natural na biologia dos vírus.

No entanto, algumas delas podem gerar diferenças dentro de um grupo genético que são denominadas variantes. Elas podem representar um impacto na saúde pública caso apresentem um potencial de maior transmissibilidade ou gravidade da doença.

Total
4
Shares