Caminhoneiro de Canoinhas participa de encontro com Bolsonaro em Brasília

Representantes da categoria disseram que presidente não pediu que grupo se desmobilizasse.

O presidente Jair Bolsonaro recebeu caminhoneiros no Palácio do Planalto, nesta quinta-feira (9), supostamente para tentar negociar o fim dos bloqueios nas estradas de diferentes estados do país.

O canoinhense Francisco Dalmora Burgardt (Chicão caminhoneiro), e Cleomar Araujo participaram do encontro. Após a reunião, parlamentares bolsonaristas e representantes dos caminhoneiros falaram à imprensa no Palácio do Planalto.

O presidente da União Brasileira dos Caminhoneiros (UBC), Francisco Dalmora Burgardt, declarou que o grupo deseja um encontro com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Questionado, ele negou que a pauta de discussões inclua a sequência de alta no preço dos combustíveis.

“Não temos nada com relação ao preço do combustível”, disse o caminhoneiro de Canoinhas.

Burgardt possivelmente se refere a uma moção que seria entregue à Rodrigo Pacheco, no dia 8. No documento citado, estaria o pedido para que fosse colocado em votação o Projeto de Lei que institui o voto impresso a partir das eleições de 2022, além do pedido de impeachment  dos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na última semana, em entrevista a vários meios de comunicação de Canoinhas, Francisco Burgardt afirmou que “Não estamos indo à Brasília para pedir, estamos indo dar uma ordem, baseada no primeiro artigo da nossa Constituição”. Se o pleito não for atendido, “aí nós vamos fechar tudo, paralisar tudo”, disse na ocasião.

“A gente está aqui manifestando, representando um segmento da sociedade brasileira. A gente estabeleceu uma pauta de entrega de um documento ao senador Rodrigo Pacheco e até o momento não tivemos êxito nisso. Permanecemos no aguardo de ser recebido pelo mesmo. E talvez existam algumas questões sobre quanto tempo vai durar: estamos aguardando sermos recebidos pelo Senador Rodrigo Pacheco. Até que isso seja realizado estamos mobilizados em todo o Brasil”, disse Francisco Dalmora Burgardt, o Chicão Caminhoneiro.

Segundo o portal Jornal de Brasília, os caminhoneiros disseram que não representam entidades, são autônomos, e negaram que Bolsonaro tenha pedido o fim das manifestações. Burgardt diss que o presidente não fez nenhum pedido ao longo da reunião, e que foi “cordial” durante o encontro.

Na quarta-feira (8), porém, Bolsonaro chegou a gravar um áudio (e o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas um vídeo), para tentar desmobilizar os manifestantes. Na mensagem, o presidente chama os caminhoneiros de “aliados” e diz que a greve “atrapalha nossa economia”.

“Fala para os caminhoneiros aí que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo, em especial os mais pobres. Dá um toque nos caras aí para liberar. Deixa com a gente em Brasília aqui agora. Não é facil negociar com outras autoridades, mas vamos fazer nossa parte, vamos buscar uma solução para isso”, disse Bolsonaro em áudio.

Até a noite desta quinta (9), caminhoneiros mantinham a rodovia BR-280 em Canoinhas bloqueada. Veja vídeo abaixo, com imagens de hoje, por volta das 19h.