Após quatro meses preso, Shimoguiri renuncia ao cargo de prefeito

Avatar photo
Carta de renúncia foi enviada à Câmara de Vereadores Municipal.

LEIA TAMBÉM

 — PUBLICIDADE —
Whatsapp Emecar Canoinhas

Luiz Divonsir Shimoguiri (PSD), prefeito de Três Barras, preso na Operação Mensageiro, deve deixar o cargo definitivamente nos próximos dias. Último dos detidos a virar réu na Justiça, Shimoguiri encaminhou nesta segunda-feira (28) uma carta de renúncia à Câmara de Vereadores. A decisão foi tomada após quatro meses em que se encontra detido.

Shimoguiri estava afastado do cargo desde que foi preso, em 27 de abril, na 4ª fase da Operação Mensageiro. A denúncia contra ele foi aceita na quinta-feira (24) passada, sendo a última referente aos 16 prefeitos presos até hoje na investigação que mira suspeitas de corrupção nos contratos de coleta de lixo em diversas cidades de SC, sempre envolvendo a empresa Serrana Engenharia, de Joinville.

A carta de renúncia de Shimoguiri deve ser lida e avaliada pela Câmara de Vereadores de Três Barras em reunião marcada para as 9h desta terça-feira (29).

Após o ato, a cadeira do prefeito deve ser declarada vaga, com a transmissão automática para a então vice-prefeita, Ana Claudia Quege (PP), que já ocupa o cargo interinamente.

Além de Shimoguiri, também tornaram-se réus na Operação outros quatro investigados em Três Barras: Edenilson Enguel, Ernani Wogeinaki, Nilton Avanir Hurmus e Paola Sabrina Pereira.