Teatro da Paixão de Cristo do Salto da Água Verde pode virar Patrimônio Cultural de Canoinhas

Vereadores Coronel Mario e Chico Mineiro, apresentam projeto de lei que Declara o Teatro da Paixão de Cristo pode virar Patrimônio Cultural Imaterial de Canoinhas.


Coronel Mario lembrou de alguns projetos de interesse comunitário que a Academia de Letras do Brasil Canoinhas possui, e como membro da mesma, viu a possibilidade de ajudar a comunidade dessa forma.

“—Todos os anos a comunidade do Salto da Água Verde procura autoridades para angariar verbas para realização do teatro, nada mais justo nós como representantes do povo apresentarmos, defendermos esse projeto que é voltado a nossa comunidade” frisou.

Justificativa

A presente propositura tem por objetivo declarar Teatro Vida, Morte, Paixão e Ressurreição de Jesus Cristo, realizado anualmente na localidade do Salto d’Água Verde como Patrimônio Cultural Imaterial do Município de Canoinhas.

O evento realizado há mais de dezesseis anos, atrai anualmente milhares de pessoas para celebração da Semana Santa, sendo realizado em sua maioria por agricultores da Associação de Moradores do Bairro Salto da Água Verde.

A Magna Carta de 1988, em seus arts. 215 e 216, ampliou a noção de patrimônio cultural ao reconhecer a existência de bens culturais de natureza material e imaterial, além das outras formas de preservação. 


Os bens culturais de natureza imaterial se referem àquelas práticas e domínios da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer; celebrações; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares como mercados, feiras e santuários que abrigam práticas culturais coletivas.

Esses artigos da nossa Constituição autorizam o Poder Público reconhecer e incluir em seu patrimônio, a ser preservado, seus bens culturais que sejam referência na memória dos cidadãos, inclusive, por serem constitutivos de sua identidade. 


O patrimônio cultural é transmitido de geração a geração, sendo constantemente criado e recriado pelos atores sociais, seus grupos, comunidades, contribuindo para uma amalgama da tessitura social, promovendo o respeito, adversidade cultural\”.

A UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura reconhece a questão da salvaguarda do patrimônio cultural, cuja definição está de acordo com a Convenção da UNESCO para a salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, ratificada pelo Brasil desde 2006.

Erzinger finalizou dizendo que, “—ao propor essa ferramenta legislativa, visamos a preservação, eu e o vereador Chico Mineiro que tem uma ligação muito forte com aquela comunidade, e a promoção de tão importante evento em nossa região, aguardamos a aprovação dos demais colegas edis”.

Chico Mineiro afirmou que \”comunidade do Salto merece esse reconhecimento por parte dos vereadores e sociedade, é um reconhecimento pelos anos de dedicação e empenho no teatro\”.

Crédito da foto: Johnatan Leôncio
Total
0
Shares