O que é tratado como transparência pelo Brasil afora, em Canoinhas é chamado de superexposição

Avatar
Prefeito de Canoinhas Beto Passos e vereador Claudio Aragão (dir) de Joinville. Foto: Reprodução

Uma proposta (Projeto de Lei Ordinário) apresentada pelo vereador Claudio Aragão (MDB), institui a publicação de lista de munícipes vacinados contra a Covid-19 e poderá se tornar lei em Joinville, seguindo exemplo de inúmeros municípios Brasil afora, que já divulgam dados da vacinação.

De acordo com Aragão, a medida tem objetivo de garantir a transparência total e irrestrita da operacionalização da vacinação contra a Covid-19.

“Em tempos de pandemia e recursos escassos, faz-necessária a divulgação da lista das pessoas vacinada e outros detalhes, para permitir o controle social sobre a atividade do órgão público”, justificou o vereador ao apresentar a proposta

O projeto de Aragão quer a publicação no site da prefeitura a lista com nome e CPF das pessoas imunizadas. 

Também será preciso informar, em qual unidade de saúde foi aplicada a vacina, a profissão e local do trabalho do vacinado e o lote da vacina.
O PL pouco difere de um requerimento apresentado na Câmara de Canoinhas, de autoria de Tatiane Carvalho (MDB), Marcos Homer (PODE), Juliana Maciel (PSDB) e Zenilda Lemos (MDB), pedindo transparência na divulgação de dados sobre a aplicação das doses da vacina contra a covid.

A solicitação é que informações sobre os vacinados, como nome, CPF (ocultando alguns dígitos) data e local da vacina sejam disponibilizados no site da prefeitura.

O requerimento é do dia 3 de fevereiro, e até o momento não houve resposta.

Contudo, na manhã desta quarta-feira (17), durante cerimônia de transmissão de posse, Beto Passos fez críticas diretas aos vereadores que cobram a publicidade e transparência na vacinação em Canoinhas:

“Querem que nós expôe (sic) o nome das pessoas que receberam a vacina, colocar um cartaz e expor o nome do profissional, do idoso que recebeu a vacina. Essas pessoas querem fazer uma superexposição […] deveriam estar lutando junto para amenizar o sofrimento, não pra fazer holofote e ganhar manchete de jornal”, disse o prefeito.

O que foi denominado de superexposição pelo prefeito de Canoinhas, é visto como tranparência por inúmeras prefeituras do país, inclusive em municípios catarinenses, onde não foi preciso uma lei para dar transparência ao processo de vacinação e fiscalizar os famosos ‘fura-filas’.  Confira aqui um exemplo do vacinômetro da prefeitura de Blumenau.

Sobre esse assunto, inclusive, nesta quarta-feira (17), o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), divulgaram que vão somar esforços para garantir a transparência na vacinação contra a covid-19 no estado e combater a ‘fura-fila’.

O MPSC já requisitou ao governo do estado o compartilhamento das informações acerca dos vacinados por município.

Ministério Público de Santa Catarina e Ordem dos Advogados do Brasil vão somar essforços para garantir a transparência na vacinação contra a covid-19 no estado.

Total
0
Shares