Adelmo Alberti corre também o risco de perder o cargo por suposta compra de votos

Coligação pediu investigação em suposta compra de votos, o que teria levado Adelmo Alberti à reeleição.

Organização criminosa, corrupção, fraude, veículo roubado e dinheiro na cueca. Além das acusações que pesam contra o prefeito de Bela Vista do Toldo, Adelmo Alberti, também tramita no âmbito eleitoral um pedido de cassação do mandato por suposta compra de votos.

Um pedido de Ação de Investigação Judicial Eleitoral,  com pedido de liminar para Cassação de Diploma e decretação de inelegibildade, em face de Adelmo Alberti e Alfredo Cezar Dreher, eleitos prefeito e vice-prefeito do município de Bela Vista do Toldo, deu entrada no Tribunal de Justiça Eleitoral em dezembro de 2020.

Uma audiência sobre o caso foi realizada nesta segunda-feira (12), com o início dos depoimentos.

Coligação pediu investigação em suposta compra de votos, o que teria levado Adelmo Alberti à reeleição. Foto: Reprodução

Os candidatos citados foram denunciados por praticaram condutas proibidas durante o período eleitoral, utilizando-se do uso indevido de maquinários pertencentes à Prefeitura, bem como distribuição de postes, tubos de concreto, janelas, portas e distribuição de dinheiro em troca de votos.

O vereador Vilson Stelzner, preso junto com Alberti durante a operação do GAECO na última terça-feira (6), também é citado na denúncia junto a Justiça Eleitoral.

Uma empresa, pertencente a Stelzner, teria sido contemplada com contrato, no valor de R$ 372.814,03 (trezentos e setenta e dois mil oitocentos e quatorze reais com três centavos),  para a recuperação de malha viária municipal com fornecimento de todo material e mão de obra.

Observou-se porém, que o material (cascalho) que deveria ser usado para recuperação da malha viária municipal nas localidades de Gralha e Rio dos Poços, era retirado em horários noturnos, sendo descarregado em terreno particular do vereador Vilson Stelzner. Imagens em vídeo mostram o cascalho no local.

Para ler toda a denúncia apresentada, acesse a matéria postada com exclusividade pelo Canoinhas Online em dezembro de 2020.

OPERAÇÃO ET PATER FILIUM

O processo sobre a operação deflagrada esta semana em Bela Vista do Toldo corre em segredo de justiça. ​Há um pedido de quebra de sigilo do processo em tramitação, mas até o momento os detalhes da acusação continuam em segredo. Ao AN, o advogado de Alberti, Paulo Henrique Glinski, afirmou que a defesa está se inteirando de toda a documentação e irá se manifestar nos autos.

Quando houver a quebra de sigilo, uma nota pública da defesa do prefeito deve ser divulgada.

Enquanto Alberti está preso, a cadeira do Executivo municipal está sendo ocupada pelo vice, Alfredo Cezar Dreher, empossado na quinta-feira (8).

Adelmo Alberti e o vereador Vilson Stelzner foram presos preventivamente em nova fase da operação Et Pater Filium, liderada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), com apoio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Canoinhas.

prisão preventiva é decretada como garantia da ordem pública, da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal ou para assegurar a aplicação da lei penal, quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria e de perigo gerado pelo estado de liberdade do imputado.

A operação investiga suspeitos de integrarem uma organização criminosa voltada à prática de crimes contra a administração pública, como corrupção, fraudes em licitações e peculato (desvio de valores ou bens públicos).

Total
1
Shares